2018 / 2019 – Retrospectiva e Prognósticos econômicos

2018 foi um ano de muitas indecisões para o cenário político e econômico brasileiro. Se levarmos em conta a greve dos caminhoneiros ocorrida em maio, aliada ao baixo crescimento do PIB e à guerra comercial entre China e Estados Unidos poderíamos traçar uma paisagem turva para o futuro.

Apesar dos contratempos, está aberta uma janela de oportunidades tanto em vista do mercado espírito-santense, quando nacional. Localmente, o ajuste fiscal foi uma das chaves para mantermos o equilíbrio das contas orçamentárias, sendo o único estado a garantir nota máxima no Tesouro Nacional. Isso nos revela boas perspectivas quanto à atração de novos investimentos que estão por vir.

Espírito Santo

Dados do Panorama Econômico do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) demonstrou que, apesar do PIB capixaba, no 3º trimestre, ter apresentado uma retração de -1,7% referente ao trimestre anterior, o crescimento da economia estadual no acumulado (últimos 12 meses) foi de R$118,8 bilhões, ou seja, um crescimento de +2,0%, enquanto no Brasil foi de +1,4%.

Brasil

Nacionalmente, as bases para a retomada econômica estão colocadas, além do fato de que a recessão ficou para trás. É preciso destacar a valorização da bolsa, do Real, além dos juros que continuam baixos. Em sua última reunião do ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa básica de juros em 6,5% ao ano, suspendendo a ameaça feita desde setembro sobre possível aperto gradual da política monetária à frente.

O que se apresenta para o ano de 2019

Para todos os fins, é importante monitorar, em 2019, alguns fatores cruciais que devem influenciar tanto a economia brasileira, quanto a capixaba, levando-se em conta os investimentos que podem ser realizados e os riscos inerentes.

. Aumento dos juros americanos: a previsão é que a taxa chegue a 3% em 2019. Se subir mais que o esperado, poderá haver saída de recursos dos países emergentes.

. Desaceleração da China: espera-se que a economia chinesa cresça menos em 2019, entre 6% e 6,5%. Mas se o país for prejudicado pele guerra comercial com os Estados Unidos e a expansão for menor, haverá reflexos na economia mundial, especialmente no Brasil.

. Novo governo no Brasil: e expectativa é que a reforma da Previdência seja aprovada e que o ministro Paulo Guedes consiga colocar em prática outras medidas de ajuste fiscal. Caso não aconteça, as perspectivas econômicas podem se deteriorar.

De todo modo, diante dos solavancos ocorridos em 2018, a economia brasileira parece ter entrado nos trilhos e a capixaba mais sólida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *