6 dicas de como falar sobre dinheiro com as crianças

A maioria de nós não cresceu aprendendo educação financeira. E o mesmo acontece com muitas das crianças de hoje, que se tornam adultos sem o conhecimento adequado sobre como controlar suas finanças e até mesmo sobre o real valor do dinheiro.

Para muitas famílias brasileiras, tratar do assunto é um verdadeiro tabu. E, por isso, falar sobre dinheiro com crianças é algo que poucos pais fazem ou reconhecem a importância de fazê-lo.

Mas, como comentamos neste artigo, quanto antes seus filhos aprenderem o tema, mais cedo começará o desenvolvimento de um relacionamento saudável entre eles e as finanças.

Para lhe ajudar a abordar o assunto de forma leve e fácil de ser entendida pelos pequenos, elencamos seis dicas neste artigo. Confira!

1. Comece cedo

Geralmente, por volta dos 4 anos de idade, crianças já estão interessadas em brincar com moedas; Logo, é uma boa oportunidade para falar sobre dinheiro com elas.

Como pai ou mãe, você pode aproveitar esse interesse natural como uma ponte para começar a abordar alguns dos elementos básicos do dinheiro, como, por exemplo, mostrando ao seu filho o que as moedas podem comprar em lugares como o mercado.

É nessa fase que os cofrinhos representam um grande aliado. Afinal, toda vez que seu filho deposita uma moeda no objeto, você está ajudando a introduzir o conceito de economia – que será muito útil no futuro.

Aproveite também para apresentar as notas de dinheiro e comece ensinando que cada uma possui um animal diferente. Utilize-as para igualmente mostrar quantas são necessárias para comprar alguns itens de supermercado que eles gostam, por exemplo.

Nesta fase inicial é muito importante reforçar também que o dinheiro vem como recompensa de um esforço. Isso porque crianças tendem a achar que o dinheiro está disponível a todos – de forma igual – nos bancos. E que pode ser resgatado a qualquer momento e por qualquer motivo.

2. Tome cuidado com o que você fala

Crianças são como esponjas e absorvem todas as informações que recebem intencionalmente ou não. Isso vale, inclusive, para as conversas sobre dinheiro entre adultos.

Para uma boa educação financeira infantil, entenda que o exemplo deve vir de casa. E deve vir de quem as crianças têm como espelho – ou seja, seus pais.

Toda vez que, por exemplo, há uma discussão na família envolvendo dinheiro, os filhos automaticamente o associam como algo ruim. Por isso, tome muito cuidado com a conversa que você tem com seu parceiro quando acredita que os pequenos não estão prestando atenção.

É importante entender que isso não significa que as crianças devam ser protegidas dessas discussões, mas sim que os pais devem cuidar com a maneira que os temas são abordados. Caso a família esteja atravessando por um problema financeiro, envolva os filhos para que eles entendam o que está acontecendo e passem a compreender a importância de economizar.

Outro exemplo é quando alguém diz não ter dinheiro para pagar tal coisa, mas acaba fazendo a compra com o cartão de crédito. Ao ouvir isso, é muito comum que a criança automaticamente associe que tudo pode ser comprado e que, mesmo sem dinheiro, é possível adquirir as coisas.

3. Utilize lições da vida real

Nada melhor que falar sobre dinheiro com as crianças do que abordar o tema na prática. Para isso, uma dica é levar seu filho com você quando for fazer compras ou, dependendo da idade, quando for ao banco. Nestes momentos você pode ensiná-lo sobre compras, economia no dia a dia, conta corrente,  poupança, depósito de dinheiro e até sobre investimentos.

Se for de baixo estresse e conduzida naturalmente, essa abordagem irá inspirar perguntas e incentivar um diálogo útil que favorecerá o aprendizado financeiro infantil.

4. Dê mesada aos pequenos

Dar mesada às crianças é um meio tradicional de ajudar a ensinar o valor de cada real. Esse primeiro contato dos pequenos com o dinheiro é muito importante para ajudá-los a desenvolver um bom relacionamento com as finanças.

Com dinheiro em mãos (uma quantia pequena), seu filho já começa a dar os primeiros passos para gerenciar o valor que possui. E, como pai ou mãe você pode aproveitar o dinheiro da mesada para abordar situações reais – conforme sugerimos na terceira dica.

5. Ensine a diferença entre necessidade e desejo

Quando for falar sobre dinheiro com crianças, é indicado levantar a questão das diferenças entre comprar algo porque precisa e comprar algo porque deseja. Mostre que a luz que eles têm no quarto, a internet e a água que utilizam, por exemplo, estão disponíveis porque são contas que foram pagas.

Dessa maneira seus filhos começarão a entender que coisas simples, com as quais eles estão acostumados, têm um preço.

Essa lição será importante para que as crianças desde cedo entendam que o dinheiro precisa, pelo menos, cobrir os custos do que é essencial (como, além das contas, a alimentação, os estudos, etc.).

Neste ponto, aborde a questão dos desejos para que eles saibam compreender que, justamente por ter algumas contas das quais não se pode fugir, satisfazer desejos pode levar tempo e precisa de muita disciplina.

6. Mostre a importância de economizar

Para que crianças vejam o dinheiro como algo positivo, deixe claro que ele existe também para realizar sonhos. Mas que, para isso, é preciso ter controle e disciplina.

Você pode pensar em algo que seu filho queira (algum brinquedo, por exemplo) e traçar com ele um plano para que ele guarde uma certa quantia da mesada para economizar e comprar o que deseja.

Essa lição pode ser aproveitada para ensinar sobre investimento. Por exemplo, combine com a criança que a cada mês você verá o tanto que ela economizou e irá acrescentar uma determinada quantia ao montante economizado. Esse pode ser o início de uma lição sobre investimentos e juros.

Concluindo

Com toda certeza, crianças que crescem com bons hábitos financeiros serão adultos muito melhor resolvidos financeiramente e com controle maior do seu dinheiro. Sendo assim, as chances de serem pessoas que sabem investir e cuidar melhor das suas finanças serão muito grandes.

E se falar sobre dinheiro com crianças é dar a eles a oportunidade de aprender algo que será útil a vida inteira, como você viu no decorrer deste artigo, quanto antes começar, melhor será para o futuro dos seus filhos ou das crianças da família.

Por fim, já que como adulto é você que deve dar exemplo aos pequenos, que tal garantir que seu dinheiro está bem investido? Para isso, conheça o trabalho de uma assessoria de investimento. Explicamos melhor aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *