Ações como investimento de longo prazo: saiba mais!

As ações têm recebido mais atenção nos últimos anos, especialmente em um cenário de queda da taxa de juros no Brasil. Com isso, é normal que cada vez mais investidores busquem conhecer sobre a renda variável.

Muitas pessoas ouvem falar sobre a bolsa de valores a partir de operações rápidas (conhecidas como trade). Mas você sabia que as ações são investimentos de longo prazo? Essa é uma das maneiras de investir nesses ativos – e pode ser a mais vantajosa.

Quer saber mais sobre isso? Confira as informações que reunimos neste post!

O que são as ações?

As ações são ativos financeiros disponibilizados por empresas que desejam oferecer partes da sua sociedade para captar mais recursos. Assim, essas companhias abrem o capital social e se tornam do tipo sociedade anônima.

Nesse momento de abertura do capital da companhia se dá o chamado IPO, que é a oferta pública inicial das ações. O dinheiro que os investidores usam para adquirir esses primeiros papéis vai diretamente para a empresa.

Essa oferta inicial se dá no mercado primário. Entretanto, a maioria das negociações na bolsa de valores acontece no mercado secundário –  ele se refere à compra e venda de ações entre os investidores depois do IPO.

Nesse caso, o dinheiro não é destinado mais à empresa, e sim ao investidor que está vendendo seus papéis. Essas operações de compra e venda são feitas na plataforma home broker, com a mediação de corretoras ou bancos.

Quem compra uma ação está adquirindo o direito de participar da sociedade na companhia. Com isso, pode receber os proventos distribuídos por elas e, em alguns casos, ter influência nas decisões administrativas (isso depende do tipo e da quantidade de ações).

Qual o perfil para investir em ações?

Como você viu, ao investir em ações de uma companhia você se torna um sócio desta empresa. Na prática, isso significa que o investidor terá bons resultados se a companhia estiver bem e pode ter prejuízo se ela for mal em algum momento.

Assim, é possível perceber que o retorno desse investimento depende de aspectos instáveis – como a economia nacional e internacional, as oscilações do mercado financeiro, o crescimento ou não de determinados setores da economia, etc. As ações são ativos da renda variável e, como tais, costumam oscilar e envolvem riscos.

Por conta desta oscilação característica e devido à não previsibilidade de rendimentos, os riscos de se investir em ações são considerados maiores do que de aplicações da renda fixa. Logo, os perfis de investidores mais indicados para essa opção são aqueles moderados ou arrojados.

Quem investe de maneira conservadora até pode desejar incluir um baixo percentual de ações na sua carteira. Entretanto, é comum que algumas instituições alertem o investidor com perfil conservador dos riscos de investir em produtos de renda variável.

Por que ações são investimentos de longo prazo?

Há duas maneiras principais de lucrar ao investir em ações: recebendo os proventos de empresas das quais você é sócio ou vendendo seus papéis depois que eles se valorizam. Baseada nessas formas, existem duas estratégias principais para investir na bolsa.

Uma delas é o trade – que pode ser dividido em day trade, swing trade e position – e a outra é o buy and hold. A maior diferença entre esses grupos é que o primeiro foca no curto prazo e o segundo visa o longo prazo.

Quem faz operações de trade tem o objetivo de aproveitar as oscilações da bolsa no curto prazo – visando obter rendimentos a partir de especulações. Já quem pratica o buy and hold visa se manter como sócio das companhias no longo prazo.

Essa técnica de manter os papéis por diversos anos foi e ainda é muito utilizada por grandes nomes dos investimentos, como Benjamin Graham, no passado, e Warren Buffett, até os dias de hoje. Investidores como estes acreditam — e comprovam com seus resultados — que as ações são investimentos de longo prazo.

Uma das justificativas é que, apesar das oscilações no curto prazo, a tendência de uma boa empresa é continuar apresentando bons resultados no futuro. Assim, investir nela e esperar um tempo maior traz a expectativa de diminuição dos riscos e aumento do rendimento.

Como investir em ações de longo prazo?

Agora você já sabe como funcionam as ações e em quais estratégias elas podem ser consideradas um investimento de longo prazo. Então, é hora de entender quais são os aspectos importantes ao investir dessa maneira – visando um horizonte maior de tempo.

Confira a seguir como investir em ações para o longo prazo – como, por exemplo, pensando na aposentadoria:

Saber lidar com as oscilações

Quando você concorda que as ações são investimentos de longo prazo, precisa estar preparado para lidar com as oscilações. Afinal, seus papéis podem descer e subir muito durante os dias, semanas, meses e até anos que se seguem.

O melhor a se fazer é segurar a ansiedade e compreender cada movimentação. Lembre-se que um prejuízo só se consolida se as ações forem vendidas. Logo, oscilações para baixo não farão diferença na sua carteira caso a perspectiva seja de que os papéis subam novamente – especialmente quando o foco é longo prazo.

Aprender a analisar as empresas

Um outro cuidado é fundamental para que se tenha essa tranquilidade diante das oscilações da bolsa de valores: saber analisar as empresas. Ou seja, é preciso ter segurança de que está investindo em empresas com potencial para o longo prazo.

Por isso, os investidores adeptos do buy and hold costumam utilizar um recurso chamado de análise fundamentalista. Neste contexto, utiliza-se uma análise de fundamentos das companhias para verificar se ela é sólida e se oferece boas condições para crescimento e fortalecimento da companhia no mercado.

Identificar a hora de vender

Dizer que as ações são investimentos de longo prazo não significa afirmar que o investidor deve manter os seus papéis para sempre. Na verdade, um dos conhecimentos relevantes é exatamente saber a hora de vender ações.

Essa decisão pode ser tomada quando os papéis apresentaram o máximo de valorização que você esperava. Ou, na situação contrária, quando há perspectivas negativas — principalmente relacionadas às mudanças nos fundamentos da empresa.

Investir de maneira contínua

Por fim, uma dica central na hora de investir em ações é não esperar que um único aporte de dinheiro lhe traga todos os resultados que você quer. A ideia de enriquecer investindo uma única vez não é realista.

Pelo contrário, a estratégia mais eficiente é fazer investimentos constantes, baseados em boas escolhas. Além disso, é importante diversificar sua carteira – investindo em áreas e empresas diferentes para diluir os riscos.

Sim, é possível considerar as ações como investimentos de longo prazo. E esse investimento pode lhe trazer bons resultados, desde que seja feito com o cuidado necessário. Para isso, continue buscando informações honestas e relevantes sobre o assunto e caminhando rumo ao seu sucesso enquanto investidor!

Quer contar com a nossa ajuda para identificar os melhores investimentos para você? Então assine a newsletter do blog e não perca nossos conteúdos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *