Ações: um dos melhores investimentos do mercado! Parte 1

As ações, se podemos utilizar uma metáfora, são pequenos pedaços de uma empresa. Dessa forma, é possível estabelecer uma relação de confiança entre pessoas e empresas.

Por quê?

As empresas possuem expectativas futuras, sonhos futuros. As pessoas também. Além das suas subjetividades, é importante pensar nos dias por vir.
Crescimento, expansão, impactos sociais, evoluções: todas essas palavras contribuem para caracterizar tanto os indivíduos, quanto as empresas.
Tornar-se sócio de uma empresa, por exemplo, é uma das diversas formas inteligentes de aliar seus sonhos, realizações, expectativas e compartilhá-los com esta mesma empresa.
Ao comprar uma ação, a pessoa torna-se um investidor que acredita nas potencialidades de uma empresa, cuja expectativa futura abre-se promissores horizontes.
Conjugar sonhos, portanto, são a matéria-prima que estreita os laços entre um investidor e uma empresa.

O que é uma ação?

As ações representam um dos principais ativos* que compõem o mercado de capitais. Aliás, muitas pessoas costumam associar ação ao mercado de capitais. E, quando se fala em Bolsa de Valores, Ibovespa, B3* ou que determinado ativo de uma determinada empresa caiu ou subiu, logo pensamos em AÇÕES.
Uma definição rápida: ação significa a menor fração do capital de uma empresa, ou seja, quando se compra uma ação, você se torna sócio daquela empresa. Podemos definir dois tipos de ações:

a) Ações Ordinárias, que são representadas pela sigla ON. Esse tipo de ação dá ao acionista direito a voto na assembleia dos acionistas da empresa;

b) Já as Ações Preferenciais, são representadas pela sigla PN. Esse tipo de ação não dá ao acionista direito ao voto.
Na prática, em relação ao mercado acionário, o investidor pequeno não possui muito interesse em ter direito a voto, ou seja, está mais interessado em receber os dividendos. Até por que, via de regra, as ações preferenciais têm mais liquidez.

No entanto, é bom frisar que as ações ordinárias também são muito negociadas, por conta de arbitragem, ou melhor, os próprios investidores percebem que as ações ordinárias, quando estão mais baratas que as preferenciais, acabam por comprá-las.

Notas:

*Ativo: o termo “ativos” pode ser simplesmente entendido como algo que tem algum valor comercial: um bem que pode ser negociado entre dois agentes.
Fora do mercado financeiro, o termo pode ser extensamente explicado, com diversos significados diferentes. Para a Bolsa de Valores, é possível listar 3 exemplos mais famosos e recorrentes. Veja abaixo:
1) Uma ação
Este é o ativo mais famoso relacionado a Bolsa de Valores, ações são uma pequena parcela de uma empresa que pode ser negociada.
2) Um contrato futuro
Contratos futuros são acordos contratuais que estabelecem o preço de outro ativo (uma commodity, uma moeda, um índice) em determinado período.
3) Uma commodity
Commodities são produtos fundamentais para economia, que são produzidos em larga escala e são utilizadas como matéria-prima.
Também podem ser chamados de ativos muitos outros bens financeiros, como moedas, Imóveis e os títulos de Renda Fixa:
. Títulos públicos
. CDB
. LCA
. LCI
. Debêntures
. Letra de Cambio
Ativo é um termo muito utilizado no mercado de ações, por isso, ao começar seus investimentos é importante entender as expressões utilizadas no mercado financeiro, para nortear seu conhecimento.

*B3: a B3 surgiu sob o formato atual após a fusão da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBOVESPA) com a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos (CETIP), aprovada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) em 22 de março de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *