Ações: um dos melhores investimentos do mercado! Parte 2

Qual o objetivo em comprar uma ação?

Para poder comprar ações de uma empresa, é preciso que elas estejam listadas na BM&FBovespa. Uma vez listada na Bolsa, a empresa precisa estar constituída sob a forma de sociedade anônima e ter seu capital aberto.
Todavia, o ato de se comprar uma ação revela que você tem confiança em uma determinada empresa, além de observá-la com um futuro positivo à frente.
A ideia que está por trás do ato de comprar uma ação não é necessariamente o fato dessa empresa ser excelente no momento presente, mas, sim, do potencial que ela possui.
É nesse sentido que o valor da ação se constitui, ou seja, o valor contido no preço de uma ação não está somente na empresa em si, mas também na expectativa para o futuro, a longo prazo.
É importante levar em consideração que, quando se compra uma ação, deve-se ter em mente a expectativa futura da empresa. É preciso que a expectativa futura, supere o presente, caso contrário, o valor da ação terá queda ou permanecerá igual.

Análise fundamentalista e análise técnica

Outra questão relevante sobre a compra e venda, expectativa de curto ou longo prazo sobre uma determinada empresa são as análises geradas com o objetivo de conhecer melhor um determinado ativo.
Existe duas vertentes de análise para se conhecer uma ação. São elas:

1. Análise Fundamentalista

Este tipo de análise verifica o fundamento de uma empresa, ou seja, o analista foca o estudo em elementos que sustentam o valor da ação, na situação da empresa que emite uma ação. Esta parece ser uma análise com maior solidez e a longo prazo.
O analista procura estudar a situação de mercado da empresa, seus concorrentes, sua situação financeira atual, o perfil dos executivos responsáveis pela gestão da empresa e a situação econômica dela.
Normalmente, quem compra a partir das observações de uma análise fundamentalista não liga para os acontecimentos de curto prazo. Este tipo de investidor possui um perfil mais conservador.

2. Análise Técnica

Contudo, há alguns investidores que preferem seguir uma estratégia mais curta, ou seja, ter estratégias de curto prazo com ganhos surpreendentes. Isso consegue ser feito com operações que denominamos ‘Trade’. Esse tipo de investidor, cujo perfil é mais agressivo, costuma basear-se na análise técnica.
Há duas formas de se fazer trade* no curto prazo:

a) seguir as análises gráficas, por meio de uma tendência gráfica. Aqui você percebe pelo gráfico, o momento de compra ou venda de uma ação;

b) ou via trades curtos que usam e mesclam-se com a análise fundamentalista, ou seja, a partir de uma notícia muito relevante, é sabido de antemão que tal notícia pode causar certa volatilidade para o mercado.

Esse tipo de operação é muito mais arriscado, pois foca-se mais em empresas que possuem muita volatilidade no momento. Acredita-se, na análise técnica, que os preços futuros das ações não dependem tanto dos fundamentos das empresas, ou seja, baseia-se primordialmente na utilização de gráficos das cotações com indicadores dos volumes negociados.

Comece a investir em ações

Para começar a investir em ações, você precisa, antes de mais nada, se preparar e se planejar para este investimento. Para isso é possível começar com um checklist básico de como comprar ações:

1. Busque conhecimento!
2. Conheça seu Perfil de investidor
3. Trace seus objetivos e estratégias
4. Abra conta em uma corretora
5. Separe o seu capital para investimento
6. Aprenda a acompanhar o mercado
7. Busque ajuda profissional
8. Escolha que ações deseja comprar
9. Compre suas ações
10. Venda suas ações e realize os lucros

Nota:
*Trader: é a pessoa que opera com recursos próprios. Ela pode seguir recomendações e carteiras recomendadas, mas ela mesma executa as suas ordens pelo Home Broker.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *