Saiba o que é After Market e como investir depois do horário da Bolsa

Nos dias de hoje, caiu por terra a ideia de que investir na bolsa é algo restrito a um grupo pequeno de pessoas. Assim, essa forma de investimento vem sendo considerada por investidores de diferentes perfis, dos conservadores aos mais arrojados.

No entanto, muitas vezes o horário de funcionamento da bolsa, período em que ocorrem as negociações, se mostra um impeditivo, já que coincide com o tempo em que a maioria de nós está desenvolvendo suas atividades profissionais.

Pensando em contornar esse problema, surge o after market. Ele é, basicamente, uma espécie de “horário extra” de funcionamento da bolsa. Quer entender melhor sobre como funciona essa prorrogação? Então, continue a leitura.

O que é e como funciona o after market?

A expressão “after market” tem como tradução livre o termo “momento depois do mercado”. Ele pode ser resumido, de maneira simples, ao período em que são permitidas negociações na bolsa, mesmo depois que o pregão tradicional é encerrado. Isso permite que quem não tem tempo de fazer suas negociações no período usual possa fazê-lo nesse acréscimo de tempo.

Normalmente, o funcionamento da Bovespa (Bolsa de valores de São Paulo) vai das 10 às 17. Com base nisso, a pré-abertura do after market acontece entre 17h25 e 17h30, mas somente lá pelas 18 horas é que acontece seu pleno funcionamento.

Durante a vigência do horário de verão, quando o pregão regular da bolsa avança até as 18 horas, o after market é suspenso, e retorna somente ao final desse período. Além disso, podem haver mudanças no horário de funcionamento do after marekt, de acordo com critérios estabelecidos pela diretoria da bolsa. É normal, por exemplo, que o mercado no período estendido não seja aberto em vésperas de feriados.

Como você deve ter percebido, a duração do after market é bastante curta. Mas nem sempre foi assim. Até o começo dos anos 2000, esse período era estendido até as 22 horas. Contudo, alguns fatores forçaram o encurtamento do horário extra para negociações.

O primeiro deles foi o racionamento de energia pelo qual o país passou naquela época. Com a necessidade de economizar eletricidade, o tempo foi reduzido. A segunda razão foi os custos excessivos gerados para as corretoras, que precisavam manter funcionários de plantão por períodos muito longos.

Não é o tema deste post, mas cabe destacar também que existe ainda o chamado pré-market, espaço de tempo em que os investidores podem agendar operações que serão executadas assim que o pregão for aberto. Geralmente, esse período é de 15 minutos antes da abertura oficial, entre 9h45 e 10 da manhã, sempre nos dias em que a bolsa funciona.

Quais são as restrições do after market?

As ordens de compra e venda durante o after market podem ser enviadas tanto pelo home broker quanto pela mesa de operações da corretora, assim como acontece com as negociações durante o horário tradicional.

Apesar de representar uma vantagem, já que permite que pessoas atarefadas façam seus negócios após o expediente, existem algumas restrições no after market. Ou seja, nem todas as operações podem ser feitas normalmente. Listamos abaixo as principais regras para você ficar atento. Ainda que elas sejam poucas e não atinjam a maioria dos investidores, vale a pena observá-las, para não ser surpreendido quando for negociar no horário estendido.

Vendas de ativos à vista

Durante o after market, só são permitidos a negociação de ativos à vista, sejam eles ações ou commodities. Isso significa que estão vetadas as negociações no mercado futuro, o que envolve derivativos e opções, que são contratos de compra e venda de determinado ativo em um prazo preestabelecido.

Ações de empresas listadas

Nem todas as ações podem ser negociadas no after market. Para conseguir comprar ou vender um papel nesse horário, ele deve ter sido emitido por uma empresa listada na bolsa, que faça parte da composição de algum índice teórico (como o Índice Bovespa, por exemplo) e que tenha sido negociado efetivamente no pregão do dia durante o horário comum.

Limite de transações por CPF

Toda movimentação realizada no after market está limitada ao teto de R$900 mil por CPF.

Restrição de volatilidade

Todo ativo negociado no after market não pode ter oscilação superior a 2% (tanto para cima, quanto para baixo) do seu preço quando comparado à sua cotação durante o horário regular do pregão. Se esse limite for superado, o negócio no after market não é concretizado. Assim, uma ação com preço de R$500 só será negociado em um intervalo de R$490 e R$510.

Tal medida é imposta para proteger o mercado de oscilações muito bruscas no preço das ações, bem como para evitar que o preço de um ativo no momento da abertura do mercado no dia seguinte seja muito diferente do que aquele com o qual ele foi encerrado no dia anterior.

Nenhuma variação de preço de ativo é incluída no cálculo da cotação do dia da bolsa ou de qualquer outro índice que utilize esses preços para obter seus números.

Quais são as vantagens de se investir nesse horário alternativo?

Como já mencionamos, a principal vantagem do after market é permitir a investidores que não tem tempo de atuar no mercado durante seu horário de funcionamento normal possam fazer suas negociações de forma segura e prática. O after market também é uma boa saída para quem quer fazer ajustes em suas operações, que eventualmente não tenham sido possíveis durante o pregão tradicional.

Embora existam algumas restrições sobre quais negociações possam ser feitas, isso não impede que o after market possa ser aproveitado pela maioria dos investidores, principalmente quando pensamos nos de pequeno e médio porte. Dessa forma, as regras impostas afetam muito pouco a vida de quem quer aproveita o período extra para fazer suas movimentações.

Além das restrições, os demais cuidados para quem opera no after market devem ser os mesmos para que atua na bolsa em horário regular, como analisar bem os ativos no qual o dinheiro será investido e os riscos inerentes a esse mercado. Dessa forma, será possível aproveitar melhor esse período complementar de funcionamento do mercado.

Quer saber mais sobre o desenvolvimento do mercado de capitais no Brasil? Confira esse outro post aqui do nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *