Apocalipse financeiro

Por Vitor Souza – Especialista em Investimentos

 

Quando falamos de bancos, logo associamos a instituições burocráticas e robustas. No entanto, poucos sabem que os bancos foram criados com objetivo de serem utilizados como mesas de negociação para troca de moedas e, posteriormente, pontos fundamentais para fortalecer o comércio e compra de mercadorias.

Atualmente, não podemos negar que os bancos são essenciais na vida de qualquer pessoa, pois além de fornecer serviços bancários, facilitam transações de pagamento e oferecem crédito pessoal, ajudando no desenvolvimento do comércio como um todo.

Hoje em dia, é muito comum os investidores dizerem que as fintechs – startups do setor financeiro que chegaram ao mercado com uma proposta de facilitar a vida financeira das pessoas por meio de soluções tecnológicas – estão espremendo as margens dos bancos tradicionais e ganhando Market Share – participação de mercado.

Contudo, poucos levam em consideração que os 4 maiores bancos brasileiros distribuíram os maiores proventos dos últimos 12 anos de acordo com o Economatica. Veja o gráfico abaixo:

Altos lucros de bancos

O setor financeiro é caracterizado por lucros altos e resiliência a cenários macroeconômicos adversos. Levando esta premissa em consideração, separei o Dividend Yield – indicador que mede a performance da empresa de acordo com os proventos pagos aos seus acionistas, ou seja, “Rendimento de Dividendos” – dos 4 maiores bancos brasileiros que, comparado ao CDI, são números bem expressivos:

Banco DY (2019)
ITUB4 7,56%
BBAS3 4,83%
BBDC4 5,54%
SANB11 4,2%

Será que essa história chegou ao fim?

A resposta pode ser dada pelo atual presidente do Banco Central, Roberto Campos: “não é questão de ser fintech ou ser banco, todos terão de ser digitais. A questão é entender onde usar a tecnologia para melhor atender os clientes”.

A afirmação está no caminho correta. Atualmente, quem gosta de ir a uma agência bancária para resolver problemas? Ficar 40 minutos na fila e, até mesmo, sair da agência sem uma solução, é uma péssima experiência para qualquer um.

Não podemos negar que o Brasil é um mercado com instituições financeiras muito concentradas, gerando uma ineficiência em diversos produtos, mas será que as fintechs realmente ocuparão o mercado dos grandes bancos?

A tendência do setor é muito clara e aqueles que conseguirem se adaptar sobreviverão, sejam fintechs ou não.

Façam suas apostas!

Vitor dos Santos Souza

>> Especialista em Investimentos

Membro da mesa de RV da Valor Investimentos

Contador e especialista em investimentos ANBIMA (CEA)

e-mail: vsouza@valorinvestimentos.com.br

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *