Ciclo da vida financeira. Em que fase você está?

Em cada fase da vida temos pretensões distintas e visões diferentes tanto do passado, quanto do futuro. Fazer essas reflexões no presente, a fim de obter um levantamento dos erros e acertos que cometemos financeiramente é muito difícil. É por isso que, em cada etapa da vida, precisamos estar atentos aos planos que pretendemos estipular.

Ao se questionar quanto custa o seu conforto, por exemplo, podemos raciociná-lo da seguinte maneira:

Dilema 1 – quanto mais eu gasto hoje, menos dinheiro terei amanhã.
Dilema 2 – quanto menos eu gasto hoje, mais dinheiro terei amanhã.

A visão de longo prazo é muito importante para o mundo das finanças pessoais.

A função do acúmulo financeiro é essencial para que você possa dar o ponta pé inicial em sua vida financeira, vislumbrando a longo prazo como você deseja estar.

A maioria das pessoas tem sua vida financeira caracterizada por três fases distintas. De acordo com a fase em que você está, é preciso criar estratégias específicas e assumir diferentes riscos, adequá-los a cada momento, para que, caso haja alguns percalços no caminho, estes possam ser mitigados.

1ª fase – ACUMULAR
Este é o momento de formar poupança com disciplina, além de ter uma visão a longo prazo.

2ª fase – AUMENTAR
Aqui, a tendência e perspicácia é buscar aplicações de maior rentabilidade.

3º fase – PRESERVAR
Este é o período de desfrutar e viver de renda.

Devemos destacar que na primeira fase, a pessoa tem juventude, energia e tempo para acumular riqueza. Nesse período, as pessoas devem definir seus objetivos de forma clara, poupar disciplinada e regularmente parte de sua renda, assumir conscientemente riscos e não se esquecer de fazer seguros de vida e de saúde.

Na segunda fase, as pessoas devem adotar uma atitude mais conservadora, evitando correr riscos em demasia, pois não há tanto tempo para se recuperar de uma eventual perda expressiva de seus investimentos.

Já na última fase, que é a da preservação e utilização dos recursos, as pessoas que obtiverem êxito nas fases anteriores podem usufruir tranquilamente da renda oriunda dos recursos acumulados ao longo da vida, como forma de aposentadoria. É o momento de ser mais conservador e aproveitar bem os recursos poupados e obtidos pelos juros ao longo do tempo.

À medida que o tempo passa, as fontes de receita/renda das pessoas também vão mudando. No início de sua vida financeira, normalmente por volta dos 20 anos, as pessoas têm renda baixa e patrimônio ainda pequeno ou inexistente.

A renda oriunda do trabalho tende a crescer rapidamente e tem maior importância do que a renda oriunda do patrimônio até os sessenta anos. A partir daí, a renda gerada pelo patrimônio tende a superar a outra fonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *