Como começar a investir?

É importante frisar sobre a importância de se ter sempre um planejamento financeiro adequado. Muitas pessoas acabam por investir de forma aleatória e não conseguem ter rendimentos que lhes convém pelo simples fato em não se ter um planejamento mais fino sobre os investimentos que possui.

Para isso é preciso que, num primeiro momento, você saiba qual etapa do ciclo financeiro se encontra. De forma geral, podemos definir e identificar 3 fases do que chamamos de ciclo financeiro.

Fase 1 – Acumulação de patrimônio

Aqui, começamos a acumular normalmente quando começamos a trabalhar. E esse período vai até por volta dos 60 anos. Este é o momento em que a disciplina está baseada em juntar dinheiro, a fim de que o patrimônio cresça.

Fase 2 – Consolidação do patrimônio

Este é o momento em que a vida está mais estável e o patrimônio, dentro das normalidades, está constituído. Nesse caso, a estabilidade requer uma atitude um pouco diferente para os seus investimentos. É preciso olhar com maior ênfase aos produtos financeiros que podem lhe render maiores rendimentos.

Fase 3 – Usufruto desse patrimônio

Nesta etapa usufrui-se da conquista do acúmulo. Usufruí-la é garantir uma qualidade de vida financeira na aposentadoria.

É, dessa forma, preciso identificar em que fase você está, para direcionar o foco de sua conduta financeira. 

Traçar objetivos financeiros

Outro ponto não menos relevante é ter objetivos financeiros bem definidos. Para isso, é um bom começo definir alguns prazos de investimentos. Esses prazos, a depender de seus objetivos, podem ser de:

. Curto prazo;

. Médio prazo;

. Longo prazo.

A partir dos prazos delimitados, você deve avançar para os tipos de investimentos. Por isso é válido pontuar que os produtos de investimentos, estabelecendo em que prazo se deseja atingir suas metas é importante ao planejamento financeiro. Ao entender seus objetivos, é interessante compreender também que os produtos financeiros.

É muito comum as pessoas perguntarem “onde devo investir”, a fim de buscar seus produtos. Normalmente, temos sempre uma conta em um Banco. Ali, é uma forma de se buscar investimentos. No entanto, há outra forma que é por meio das corretoras. Estas, ao contrário das agências bancárias, são mais flexíveis para o investidor.

Outro ponto em que as corretoras se tornam mais atrativas para começar seus investimentos é que muitas trabalham há algum tempo com a ideia de Shoppings Financeiros. Esses shoppings dão maior liberdade ao cliente-investidor para optar pelo melhor investimento a ser realizado via assessores.

Quando o investidor abre conta em uma corretora, ele tem acesso a vários produtos, inclusive de bancos. Assim, é importante comparar taxas e desempenhos desses produtos. Isso facilita o processo para o cliente-investidor, pois é oferecido uma gama de opções muito maior que um banco.

É importante frisar que toda corretora tem seus profissionais que, diferentemente dos bancos, possuem metas de vendas de seus produtos. Este pode ser considerado outro ponto positivo das corretoras.

Enfim, o ideal para ser orientado e se orientar sobre os seus investimentos é você tenha algum tipo de auxílio de assessores presentes nas corretoras. Esta também é uma forma comum para você dar os seus primeiros passos como investidor.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *