Como e por que investir em fundos de investimento?

Você já pensou em ter uma carteira de investimentos diversificada sem precisar decidir, por conta própria, quais ativos farão parte do seu portfólio? Já desejou ter uma carteira sólida e balanceada sem precisar monitorar com frequência o desempenho de cada um dos ativos que a compõe?

Pode parecer uma tarefa quase impossível, mas saiba que hoje qualquer investidor pode ter um portfólio de investimentos diversificado sem precisar se preocupar com as decisões que envolvem a formação de carteira ou o monitoramento frequente destes investimentos. Tudo isso graças aos fundos de investimento.

Uma modalidade cada vez mais procurada pelos investidores, os fundos de investimento podem ser as escolhas ideais para aqueles que buscam diversificação e uma gestão profissional de carteira. Quer saber mais sobre eles? Então continue a leitura e descubra como e por que investir em fundos de investimento a partir de agora!

O que são fundos de investimento?

Na prática, os fundos de investimento são mais uma modalidade de investimento disponível aos investidores no mercado financeiro. Em um formato semelhante ao de um condomínio, um fundo de investimento é constituído por um CPNJ e formado por grupos de investidores, que participam do fundo por meio da compra de cotas.

O objetivo dos participantes do fundo é obter bons retornos financeiros a partir destes investimentos, enquanto contam com uma gestão profissional – que se torna responsável pelas decisões de investimento e pelo monitoramento da carteira do fundo. A formação da carteira de um fundo varia de acordo com o tipo do fundo de investimento e com a estratégia definida pelo gestor.

Além do gestor, existe também o administrador dos fundos de investimento, que é o agente responsável por fazer a administração do fundo e defender os interesses dos cotistas participantes. Ao investidor que participa de um fundo, cabe o cumprimento de regras previamente estabelecidas, os aportes no fundo de investimento – por meio da compra de cotas – e o pagamento da taxa de administração, que remunera o gestor e permite o bom funcionamento administrativo do fundo.

Vale destacar que, além da taxa de administração, o investidor também pode precisar arcar com o pagamento de uma taxa de performance – uma remuneração adicional cobrada por diversos fundos em situações nas quais a rentabilidade do fundo supera o rendimento do seu benchmark. O investidor também não deve se esquecer que, sobre a rentabilidade do investimento em fundos, há incidência de Imposto de Renda.

Tipos de fundos

Os fundos de investimento são divididos em diversas categorias, que variam de acordo com o tipo de investimentos do fundo e a estratégia definida. Confira a seguir alguns dos principais tipos de fundos disponíveis atualmente no mercado brasileiro:

Fundos de renda fixa: são fundos cujas carteiras são compostas apenas por produtos de renda fixa, como títulos públicos federais, CDBs e debêntures.

Fundos referenciados: são fundos compostos por ativos vinculados ao CDI, cujo objetivo é acompanhar a rentabilidade oferecida pela taxa DI.

Fundos de ações: são fundos cuja estratégia se baseia em investimentos no mercado de ações – expondo a carteira a maiores riscos em busca de melhores rendimentos para o fundo e seus cotistas.

Fundos multimercados: são fundos que permitem ao gestor realizar aportes em produtos de renda fixa e em produtos de renda variável, como as ações. Neste caso, o gestor acaba tendo uma liberdade maior para alocar os recursos provenientes dos cotistas – em busca das melhores rentabilidades, de acordo com a estratégia definida.

Fundos de investimentos em cotas: conhecidos como FICs, estes fundos são conhecidos por investirem em cotas de outros fundos de investimentos – não realizando, portanto, investimentos diretos em produtos de renda fixa ou variável. Entre os FICs existem aqueles que investem em cotas de fundos de ações (FIC de FIA), em cotas de fundos de renda fixa (FIC de FIRF) e os FICs que realizam aportes em cotas de fundos multimercados (FIC de FIM).

Fundos multigestor: os fundos multimercados multigestores (FIC FIM Multigestor) são fundos FIC de FIM que investem em diversos outros fundos, aumentando sua exposição às mais diferentes estratégias de investimento e riscos, em busca das melhores rentabilidades.

Por que investir em fundos de investimento?

Investir em fundos de investimento tem uma série de vantagens para o investidor. Como dissemos no início deste artigo, duas das principais vantagens desta modalidade de investimento é permitir ao investidor ter uma carteira de investimentos diversificada e contar com uma gestão profissional para tomar as melhores decisões de investimento e fazer o gerenciamento de portfólio.

Existem, no entanto, muitos outros benefícios de se investir em fundos de investimento. Os fundos, por exemplo, permitem ao investidor iniciar seus aportes no mercado financeiro com uma quantidade reduzida de valores – uma vez que existem fundos cujas cotas são vendidas por valores bastante acessíveis aos investidores.

Além disso, o fundo de investimento pode ser uma opção bastante interessante para aqueles investidores que ainda não dominam o mercado financeiro e não se sentem à vontade para seguir uma determinada estratégia e formar um portfólio com diversos produtos. Para quem sabe investir sozinho, mas não tem tempo para compor e balancear sua carteira, os fundos também acabam valendo a pena.

Como investir via fundos de investimento?

O primeiro passo para investir via fundos de investimento é conhecer o seu perfil de investidor e seu apetite ao risco. Saber qual é o seu objetivo pessoal em relação ao investimento também é fundamental para escolher os melhores fundos de investimento.

O investidor deve ficar atento, ainda, ao impacto das taxas e do Imposto de Renda na rentabilidade do investimento antes de fazer sua escolha. Vale a pena conferir as opções do mercado e buscar aquela que mais se alinha aos seus objetivos e ao seu perfil e que cobre uma taxa de administração e performance alinhadas à capacidade do fundo de entregar boa rentabilidade aos investidores.

Para fazer seus aportes no mercado via fundos de investimento, no entanto, é preciso ter uma conta em corretora. Com uma conta aberta, você terá acesso a uma plataforma com inúmeras opções de fundos de investimento para investir.

Em caso de dúvidas na hora de fazer sua escolha, pode valer a pena contatar seu assessor de investimentos – um profissional preparado para ajudar você a tomar as melhores decisões de investimento, alinhadas ao seu perfil e aos seus objetivos financeiros, e a investir com segurança e muito mais tranquilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *