Como organizar as finanças pessoais durante uma crise?

Ninguém deseja passar por momentos financeiros difíceis. Contudo, é importante se preparar para eles a todo momento.

Se você estiver preparado, mas uma crise não chegar tão cedo, ótimo! De outro lado, se ela chegar e não lhe encontrar equilibrado, os problemas podem ser enormes. Por isso, sempre vale a pena saber organizar as finanças nas crises.

Situações adversas acontecem por motivos diversos – por exemplo, desemprego ou diminuição momentânea da renda, emergências de saúde, etc. Um exemplo de período crítico é a pandemia do novo coronavírus – que assustou muita gente.

Entretanto, também passamos por outras dificuldades de proporções menores ao longo da vida. E precisamos saber enfrentar momentos. Então, que tal descobrir como organizar suas finanças pessoais durante uma crise?

Analise seu conforto financeiro

As crises não afetam as pessoas da mesma maneira. Seus efeitos dependem muito do conforto financeiro que cada um construiu anteriormente. Pense em alguém que já tem uma reserva de emergência montada e aplicada em um investimento.

Certamente, esta pessoa estará mais confortável do que quem não tomou essa precaução. Afinal, existe um dinheiro disponível para emergências e ele está, inclusive, rendendo juros que oferecem ainda mais alívio em uma crise.

Se você seguiu as recomendações de reserva de emergência, tem aplicada uma quantia que equivale a pelo menos 6 meses do seu custo de vida, certo? Então, é hora de analisá-la e fazer cálculos para ver quanto tempo de segurança ela realmente lhe oferece.

Algumas pessoas, por outro lado, podem ter reservas mais limitadas. Entre um ou três meses, por exemplo. Outras, infelizmente, não têm reservas. Em todos os casos é preciso analisar o conforto financeiro (ou a falta dele) para saber qual é sua real situação na crise.

Reveja o orçamento

Depois de verificar as reservas, é hora de rever o orçamento. Mesmo quem tem uma quantia para emergências deve seguir esse passo. Afinal, uma crise requer adaptações de gastos, já que a situação financeira não é a mesma dos períodos normais.

Muitas pessoas acabam não tendo um controle orçamentário quando sua vida financeira está caminhando bem. Se é o seu caso, o período crítico exige a montagem de um orçamento – ou seja, o registro de seus ganhos e gastos ao longo do mês.

Se você já tem o hábito de acompanhar o orçamento, então é momento de observar os registros e ver o que pode ser modificado. A ideia é fazer adaptações para enfrentar os problemas com mais liberdade.

Avalie seus custos por categorias e veja o quanto gasta em contas fixas e em custos variáveis. Depois, observe quais dessas categorias podem ser reduzidas ou mesmo cortadas, pelo menos por um tempo limitado até que as coisas voltem a melhorar.

Faça corte de gastos

Não há como fugir do corte de gastos em uma crise. Se a situação financeira mudou, o padrão de vida também precisa ser modificado — ainda que por pouco tempo. Logo, organizar as finanças na crise exige economia.

A proporção do corte de gastos dependerá dos passos anteriores. Isto é, do valor que está disponível na reserva de emergência e do seu orçamento. Quem está em uma situação mais confortável pode fazer cortes menores; já quem se encontra em maior dificuldade precisa cortar mais.

De qualquer forma, tenha um olhar crítico sobre seu padrão de vida e veja o que pode ser reduzido para aumentar a liberdade do orçamento. Crises como a do coronavírus proporcionaram, para muitas pessoas, economia em algumas categorias – como gastos com combustível para quem está em home office.

Outra categoria relevante é a de entretenimento. Embora alguns serviços sejam importantes para passar o tempo em casa, reflita se é possível cancelar ou suspender assinaturas de streaming ou TV a cabo. Talvez, negociar descontos também seja uma boa opção.

Adie gastos significativos

Quando nossas finanças estão bem é comum que façamos planos para o futuro: uma pequena reforma na casa, a troca de carro, uma viagem interessante com a família, etc. Entretanto, se uma crise surge, o ideal é que os projetos sejam adiados.

Pense bem: se a sua renda não está como antes ou se os gastos com saúde e outras demandas aumentaram, o dinheiro que seria destinado ao futuro pode não ser o mesmo, certo? Portanto, é preciso rever as expectativas.

Quanto melhor você se organizar para a crise, mais rápido os efeitos dela passarão e será possível retomar seus sonhos. Então, adie gastos que seriam significativos e espere a situação melhorar para considerá-los novamente.

Negocie dívidas

Muitas pessoas não conseguem passar pela crise sem contrair dívidas. Além disso, vários brasileiros já se encontram endividados quando mais uma dificuldade financeira surge.

A solução para isso não é ignorar o problema. É preciso negociar.

Quem sente que precisará solicitar crédito aos bancos deve realizar uma pesquisa das condições oferecidas por cada um para encontrar aquelas que cabem melhor no bolso. Por outro lado, quem já se encontra endividado deve avaliar como negociar.

Se não for possível manter os pagamentos da dívida, é importante entrar em contato com o credor e avaliar o que pode ser feito. Pesquisar juros menores e fazer a portabilidade da pendência também é uma alternativa.

Tenha um plano para sair da crise

Por mais difíceis que possam parecer, as crises acabam. O mercado financeiro – e a nossa vida – funciona de maneira cíclica: períodos difíceis revezam com momentos mais tranquilos. Pensando nisso, é válido ter um plano de saída da crise.

Procure definir metas e fazer um planejamento de enfrentamento dos problemas. Organize tudo o que falamos aqui: as quantias das suas reservas, o novo orçamento, os cortes de gastos, etc. Com base nas informações, projete quantas semanas ou meses o problema pode durar.

Organize, ainda, suas estratégias para superar as dificuldades. Além da economia e do uso de reservas, procurar formas de renda extra é outra ideia para manter o equilíbrio em períodos difíceis. Assim, será mais fácil driblar a recessão.

Com as dicas que demos neste post você conseguirá desenvolver maneiras eficientes de organizar suas finanças durante a crise. Por mais difícil que pareça, sempre há o que ser feito para recuperar o equilíbrio.

E não se esqueça de repor (ou começar) sua reserva de emergência quando o momento crítico passar, ok?

Contar com ajuda para manter uma vida financeira mais tranquila é sempre algo positivo. Então, que tal assinar a newsletter do blog e acompanhar de perto nossos conteúdos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *