Como um investidor iniciante deve montar uma carteira de investimentos?

Estratégia de investimentos

Imagine o perfil de um investidor iniciante. Como ainda está acumulando patrimônio, seu montante financeiro para investimentos ainda é baixo. Na verdade, para começar a investir é necessário no primeiro momento ter algum excedente financeiro.

Em casos como esse, o ideal é que a carteira de investimentos não seja dividida em produtos de curto, médio e longo prazo e nem que seja muito diversificada, uma vez que essa diversificação poderá levar o investidor a adquirir produtos de baixa performance e com custos significativos.

Um investidor que possua 10 mil reais, por exemplo, pode precisar retirar seus investimentos no caso de uma emergência financeira. Por isso, apostar em investimentos com horizonte de curto prazo é mais adequado – afinal resgatar investimentos de longo prazo para necessidades curtas pode gerar prejuízos desnecessários.

Um outro ponto importante para o investidor iniciante é prestar atenção nos custos dos investimentos. Por exemplo, investimentos em ações, possuem taxas de corretagens e custódia que penalizam a rentabilidade em capitais menores. Por isso, talvez não sejam tão adequados para investimentos mais enxutos.

A dica para o investidor iniciante é manter o controle sobre seu orçamento de maneira que possa acumular recursos mensalmente e, assim, fazer crescer seu patrimônio.

Portanto, um investidor iniciante deve montar sua carteira na seguinte ordem:

1º – Constituir a sua reserva de curto prazo, com investimentos adequados a tal finalidade (o que pode ser feito até acumular um patrimônio em torno de 6 a 12 meses de sua renda mensal);

2º – Formar a reserva de médio prazo;

3º – Por fim, formar a reserva de longo prazo escolhendo produtos para essa finalidade.

Com base nessa sequência, o investidor iniciante criará um planejamento sólido, podendo se precaver contra imprevistos, além de colher frutos com tranquilidade financeira rapidamente. Importante frisar que a rentabilidade não é a coisa mais importante para o investidor iniciante. Na verdade, a prioridade é formar sua reserva de curto prazo e garantir um fôlego importante em seu planejamento.

Há também outras formas de investimento. Caso um investidor queira montar uma carteira de longo prazo para aposentadoria futura ou acúmulo de patrimônio e ainda possui poucos recursos, é melhor pensar a longo prazo.

Atenção para as dicas:
1º – Uma carteira de curto prazo, precisa ter investimentos de curto prazo.
2º – Uma carteira de médio prazo, pode ter investimentos de curto e de médio prazo.
3º – Uma carteira de longo prazo deve ter investimentos de curto, médio e longo prazo.

Não faz sentido que um investidor tenha investimentos de longo prazo sem que antes tenha investimentos de curto e médio prazo. Pense bem: um planejamento de longo prazo está exposto a muitas variáveis incontroláveis na vida de cada investidor e, por isso, essa composição de carteira ao longo do tempo.
Antes de chegar no futuro, é preciso passar por essa semana, por esse ano e por essa década. Impossível pular o hoje para ir direto ao longo prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *