Entenda a diferença entre os tipos de planos de previdência privada PGBL ou VGBL?

Primeiramente é importante estabelecer alguns pontos relevantes sobre a previdência privada. Segue abaixo, alguns tópicos que tornam este tipo de previdência mais atrativo que a previdência social:

 

  1. Controle Financeiro e Investimentos Fácil

É uma boa opção para complementar o valor da pensão da Previdência Social e para garantir estabilidade financeira após a aposentadoria.

Nos ajuda a ter disciplina e organização, pois as contribuições são mensais, facilitando o controle do orçamento familiar.

Nos últimos anos, várias gestoras acabaram abrindo uma previdência privada em conjunto com uma administradora, assim quem não tem experiência e nem interesse de gerir o próprio patrimônio, pode escolher entre os melhores nomes da indústria para cuidar das suas aplicações.

 

  1. Benefício fiscal

É possível optar entre as tabelas de tributação Progressiva ou Regressiva. O mais indicado é o regime regressivo, pois quanto maior o prazo de permanência no plano, menor será alíquota de imposto de renda no resgate. Chegando a alíquota mínima de 10%, enquanto a maioria dos demais ativos de longo prazo possuem alíquota mínima de 15%.

Na modalidade PGBL os valores depositados podem ser deduzidos da base de cálculo do IR anual, em até 12% da renda bruta anual.

 

  1. Rentabilidade

Não possui incidência de IR semestral como o come-cotas que é comum na maioria dos fundos de investimentos (renda fixa, multimercado), então por ser uma aplicação de longo prazo o financeiro conquistado ao acaba sendo maior.

 

  1. Planejamento Sucessório (Segurança Familiar)

É um excelente instrumento de planejamento sucessório, pois como não tem obrigatoriedade de participação em inventário, o pagamento ao beneficiário costuma ser rápido, sem burocracia e sem despesas.

 

Descomplicando a Previdência Privada

Quando se pensa em aposentadoria, existem duas opções para se estabelecer o planejamento: depender da previdência social, com uma aposentadoria de valor limitado e relativamente baixo, ou complementar a aposentadoria com recursos próprios, por meio de aplicações diretamente realizadas pelo investidor ou aderir a um plano de previdência complementar.

No Brasil, temos:

  1. PGBL (Programa Gerador de Benefício Livre)

O PGBL é recomendado para quem faz a declaração completa do imposto de renda. O investidor pode deduzir a base de cálculo de IR em até 12%. O ônus fica por conta da alíquota de resgate, que incide sobre o saldo total.

 

  1. VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre)

O VGBL é indicado para quem deseja acumular patrimônio ou planejar objetivos específicos para o longo prazo. O imposto incide sobre a rentabilidade adquirida e a tributação pode chegar em 10% após 10 anos.

Vejamos as principais diferenças no quadro abaixo:

tabela-pgbl-vgbl

A principal diferença entre PGBL e VGBL é o tratamento fiscal

No PGBL, por se tratar de um plano de previdência privada, as contribuições podem ser deduzidas da base de cálculo sujeita à incidência mensal do imposto de renda.

Na declaração de ajuste anual do imposto de renda, o contribuinte que declara pelo modelo completo de declaração do IR pode deduzir, da base de cálculo do IR, o valor de todas as contribuições efetuadas para a previdência privada, limitado a 12% da renda bruta tributável anual.

Na verdade, o governo cobrará, no futuro, o pagamento do imposto. Portanto, quem tem este benefício terá uma cobrança adicional no resgate ou na aposentadoria. A tributação vai incidir sobre todo o montante e não apenas sobre o rendimento. Reaplique o valor economizado.

A escolha entre PGBL e VGBL está diretamente relacionada às características atuais da sua renda. As demais características e rendimento são idênticas.

Tipos de Tributação

Regressiva

O Regime Regressivo pode proporcionar alíquotas de IR menores às pessoas que mantêm por mais tempo seu saldo de conta nos planos de benefícios. Essa forma de tributação tem vantagens para quem, de fato, planeja efetuar uma poupança de longo prazo e não tem a intenção de realizar resgates no curto ou médio prazos.

tabela-tributacao-regressiva

 

Progressivo

O Regime Progressivo é o mesmo que determina a alíquota do Imposto de Renda sobre o seu salário. Na prática, o que determina a alíquota sobre o plano de previdência é o valor a ser resgatado ou transformado em renda.

tributacao-progressiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *