O que você precisa saber sobre a especulação financeira

O mercado de investimentos tem diversas particularidades e aspectos que precisam ser bem conhecidos por quem deseja entrar nesse universo.

Um deles é a especulação financeira, que precisa bem entendida para que se evitem decisões ruins (ou precipitadas) que podem levar a prejuízos financeiros indesejáveis.

Neste artigo, vamos explicar melhor o que é, como funciona e quais são as principais diferenças entre especulação e investimento. Você se interessou pelo assunto e quer saber mais? Então, continue conosco e confira agora mesmo!

Afinal, o que é especulação financeira?

Genericamente, podemos dizer que a especulação financeira consiste nas operações de compra ou venda de ativos com o objetivo de obter lucro. Em outras palavras, um especulador não visa obter bons retornos em taxas de juros com o capital aplicado, mas sim lucrar com o aumento ou a queda dos índices do mercado no qual ele atua.

Tudo se baseia em palpites a respeito dessas flutuações de preços que acontecem, mas, além disso, podemos citar outras características desse tipo de atividade:

  • fortes condições de incerteza;
  • objetivo de obter ganhos acima da média;
  • metas em curtíssimo ou curto prazo;
  • criação de estimativas de cotações para curto e médio prazo.

Fase de otimismo

Quando a economia apresenta resultados positivos, tende a gerar boas perspectivas de crescimento, de maneira geral — valorização de ações, aumento do empreendedorismo, concessão de crédito, entre outras.

No que diz respeito às ações especificamente, o cenário normal é de aumento dos preços até que se atinja o auge e, posteriormente, acontece a estabilização de preços. Essa fase de aumento é que traz o otimismo para os especuladores.

Aumento de preços

É comum acontecerem casos em que, em vez de chegar na fase de estabilização, a valorização continua ocorrendo. Isso atrai novos investidores, principalmente os mais iniciantes, que não têm experiência com o mercado e são motivados pelas boas perspectivas.

Entretanto, se esse ritmo se mantém, existem grandes chances de que os preços das ações cheguem a índices irreais. Em outras palavras, o valor pode estar muito acima do que determinada empresa realmente pode oferecer na realidade, considerando a verdadeira geração de riqueza.

A bolha

Para investidores experientes, esse momento em que a alta chega no limite representa a hora certa de vender os papéis e maximizar os lucros. É aqui que esse sentimento de empolgação passa e as pessoas entendem que houve uma supervalorização.

A partir daí, ocorre a queda dos preços, gerando uma fuga brusca dos investidores — é o que se chama de crash ou o famoso problema da “bolha estourada”. Para os iniciantes, que não têm esse conhecimento, é quando ocorrem os grandes prejuízos financeiros.

Como ela funciona no mercado financeiro?

A especulação financeira ocorre no ambiente da bolsa de valores. Ali, as pessoas podem fazer conjeturas a respeito de diversos ativos, o que inclui:

  • contratos de moeda;
  • ações de empresas;
  • contratos de commodities.

Nesses casos, o especulador trabalha monitorando oportunidades e aproveitando-as para obter bons resultados financeiros. Entretanto, vale ressaltar que, para que essa atividade seja bem-sucedida, é de suma importância entender a dinâmica do mercado de capitais e como operar na bolsa.

Para trabalhar com a especulação, é preciso estar ciente de que essa atividade envolve uma série de riscos. Portanto, é essencial que o trader — a pessoa que faz essas operações de compra e venda de ativos para se beneficiar — esteja bem preparado para operar, ciente de que pode sofrer perdas ao longo do processo.

Isso pode ocorrer a qualquer momento, uma vez que esse trabalho é baseado em previsões, e o mercado pode sofrer mudanças todo o tempo. Nesse sentido, qualquer modificação significativa pode reverter um cenário que seria favorável e acarretar prejuízos financeiros.

Quais as principais diferenças entre especulação e investimento?

Apesar de os conceitos poderem ser facilmente confundidos, diferem muito entre si. Nos próximos tópicos, explicamos melhor as principais características e distinções.

Rendimentos financeiros

Enquanto a especulação financeira está ligada às criações de previsões a respeito do comportamento de determinado ativo, o investimento diz respeito à análise do valor percebido das empresas.

Em outras palavras, o investimento foca muito mais o negócio e os rendimentos futuros que a empresa em questão pode proporcionar.

A especulação, por outro lado, mantém as atenções totalmente voltadas apenas para o preço — uma vez que se especula se o valor pode ou não subir e se espera obter algum ganho com a venda dos papéis.

Risco

Outra grande diferença está no risco assumido. A especulação é de alto risco e, de certa forma, pode ser comparada a uma aposta, uma vez que envolve estimativas que podem gerar grandes perdas ou ganhos.

Os investimentos, por sua vez, são realizados com base em análises, fundamentos outros critérios que ajudam a tomar decisões a respeito de qual ativo vale mais a pena (do ponto de vista de suas necessidades e objetivos).

Prazo

Geralmente, os especuladores trabalham em curtíssimo prazo (dias ou semanas), podendo podendo fazer o chamado day trade (operações realizadas na bolsa em um único dia). Porém, também é possível manter uma estratégia especulativa em um (ou mais) ativo por meses ou mesmo anos.

O investimento, por sua vez, pode ser de longo, médio ou curto prazo (de um a três anos).

Decisão de compra

A compra de um ativo por parte do especulador é feita por meio de experiências passadas e feeling do mercado. Também se podem utilizar gráficos, rumores ou análises do mercado, mas o foco não está na empresa da qual se adquirem títulos.

A decisão de compra de um investimento, por outro lado, é feita com base em uma análise criteriosa do desempenho histórico das empresas e suas perspectivas futuras — outros fatores, como a economia do país, também influenciam a escolha.

Agora que você já sabe melhor o que é e como funciona a especulação financeira, consegue avaliar se tem o perfil para realizar esse tipo de operação e se tornar um trader? Se você aceita correr altos riscos em busca de ganhos maiores, já sabe que pode investir mais no conhecimento sobre esse mercado para se aventurar nele posteriormente.

O que achou deste artigo? Quer continuar acompanhando outros artigos ligados a investimentos e ao mercado financeiro? Então, assine a nossa newsletter e receba as novidades em primeira mão no seu e-mail!

tipos de investimentoPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *