Gestão de risco pessoal: por que ter um seguro pode salvar seu patrimônio?

Por Priscilla Sidoti – Head de Planejamento Patrimonial

 

Muitas pessoas se preocupam em construir um patrimônio e trazer conforto e tranquilidade para a família. Buscar organização financeira e investimentos para alcançar esses objetivos já é um grande passo que você pode dar rumo à prosperidade.

Mas, você tem pensado em como a gestão de risco tem um papel fundamental no seu dia a dia— podendo, inclusive, salvar seu patrimônio em alguns momentos? Buscar segurança para seus bens é tão relevante quanto adquiri-los.

Quer saber mais sobre o assunto? Veja a seguir a importância de gerir os riscos da sua vida e como fazer isso da melhor forma! Ao fim da leitura tenho uma surpresa para você.

O que é a proteção patrimonial?

A proteção patrimonial é uma estratégia para proteger os seus bens. Consequentemente, proteger o que você tem de mais precioso: sua vida e sua família. Afinal, a construção do seu patrimônio tem o intuito de viver com tranquilidade, certo?

Se você possui um carro, provavelmente tem um seguro veicular, não é? Ele é um produto importante no Brasil, considerando as estatísticas em relação a roubos e acidentes de trânsito. Um motorista sem seguro pode ter grandes prejuízos em situações assim.

Agora, imagine a mesma situação do carro sem seguro, mas relacionada à sua vida e ao seu patrimônio como um todo. O que você faria se algo extremo acontecesse e trouxesse impacto na sua renda e nos bens que já foram conquistados?

O fato de não ser fácil responder a uma pergunta assim deixa evidente a relevância da blindagem patrimonial. A gestão de risco é um plano de contingência para proteger tudo que vem sendo conquistado com seu esforço.

A vida pode ser dividida em duas fases principais: o período de acumulação de patrimônio e o período de usufruto. Em ambos é preciso pensar em como gerenciar os riscos de que algo lhe aconteça e comprometa tanto a geração de patrimônio quanto o usufruto dele.

Por que a gestão de risco é importante?

Agora você já sabe o que é proteção patrimonial. Mas, por que este conceito é tão importante? Para pensar sobre o assunto, imagine o que você faria para garantir que fosse possível ter estabilidade financeira mesmo diante de problemas sérios.

Pensar na sua tranquilidade e no conforto da sua família, independentemente das condições externas, é o que lhe ajuda a entender a importância de ter um seguro para proteger seu patrimônio. Afinal, ninguém quer trabalhar tanto para viver dificuldades depois.

Entretanto, precisamos reconhecer que os problemas podem existir. Muitos deles são imprevistos e trazem consequências bem sérias. Por exemplo, acidentes que invalidam uma pessoa de forma temporária ou permanente.

Em casos assim, mesmo que a pessoa tenha um bom patrimônio, a situação pode ficar bem complicada sem uma gestão de risco eficiente. Afinal, os recursos precisarão ser utilizados e não haverá as mesmas condições para criar renda.

Outra importância fundamental da gestão de risco é quando se fala sobre o processo de sucessão patrimonial. Quando montamos uma família, desejamos proporcionar o melhor para ela, mesmo quando não estivermos mais presentes, certo?

Logo, vale a pena fazer o planejamento sucessório de forma que o patrimônio passe para os herdeiros sem maiores problemas ou preocupações. Especialmente quando se considera a burocracia e as questões tributárias brasileiras.

Como fazer a gestão de risco pessoal?

Depois de entender sobre proteção patrimonial e ver a importância de fazer uma gestão de risco, chegou a hora de descobrir na prática como ela acontece. Basicamente, ela depende de uma análise de cada caso.

Alguns aspectos centrais para planejar a gestão de risco personalizada e eficiente para a sua vida são, por exemplo, o volume do seu patrimônio e o número de filhos. Seus objetivos para o presente e o futuro também são essenciais.

Agora, confira algumas estratégias utilizadas em uma boa gestão de risco.

Reserva de emergência

Começamos com a proteção contra riscos de menor porte. Todos que buscam organização e tranquilidade financeira precisam de uma reserva de emergência. Ela representa de 6 a 12 meses do seu custo de vida e lhe oferece estabilidade e equilíbrio diante de imprevistos.

Assim, se algo inesperado acontecer (como gastos médicos ou manutenção não programada em um bem, por exemplo) você tem um colchão financeiro que pode ser utilizado. Isso evita impactos no orçamento, pois não será preciso afetar a renda mensal.

A reserva de emergência é um dos conhecimentos básicos da educação financeira e é a primeira etapa na fundação da gestão de risco. Ela absorve o baixo impacto nas suas finanças e pode ser construída de forma autônoma por você.

Seguro de vida

Além de se proteger contra efeitos menores no orçamento, é preciso pensar em como gerenciar riscos mais sérios. Nesse caso, situações que causem alto impacto na renda e que até mesmo tragam consequências irreversíveis — como a invalidez ou a impossibilidade de aumentar o patrimônio.

Problemas que trazem consequências extremas nas suas finanças podem gerar dificuldades muito grandes para a vida da sua família. Por isso, eles exigem uma proteção robusta para evitar que as reservas montadas ao longo do tempo sejam consumidas rapidamente.

Um produto financeiro muito útil nesse aspecto é o seguro de vida. Ele protege seu patrimônio, a sua vida e a de seus familiares. Com ele, é possível enfrentar dificuldades específicas de maneira mais equilibrada, contando com blindagem patrimonial.

Aposentadoria

Por fim, não podemos deixar de citar também o planejamento da aposentadoria como um dos pilares da gestão de risco. O período de aposentado é marcado pela diminuição da sua capacidade de gerar caixa, levando ao usufruto do patrimônio construído.

Para que a fase seja vivida com qualidade, é preciso se proteger contra riscos. O planejamento da aposentadoria e também da sucessão patrimonial a partir de produtos como a Previdência Privada ou o seguro de vida lhe oferece mais equilíbrio para pensar no futuro de maneira positiva.

Assim, vale a pena ter uma alocação estratégica de bens para encontrar segurança na terceira idade. Além disso, a estratégia também oferece segurança aos familiares, pois representa um patrimônio que pode ser repassado aos herdeiros sem necessidade de inventário.

Você viu como a gestão de risco é importante para consolidar a sua organização financeira e lhe proteger? Gerar renda, investir dinheiro e construir um patrimônio são ótimas práticas — que se complementam e se tornam mais fortes com a blindagem patrimonial!

E então, o que achou deste conteúdo? Quer entender mais sobre o assunto? Veja nossa coluna sobre proteger a vida e perpetuar patrimônio!

 

. Priscilla Sidoti

Head de Planejamento Patrimonial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *