Investidor conservador: 5 investimentos adequados para este perfil

Um dos aspectos que confunde muitas pessoas antes de começarem a investir é o perfil de investidor. Isso acontece porque o mercado financeiro oferece diversas alternativas para a composição de um portfólio — das mais seguras e simples às mais arriscadas e complexas. E, muitas vezes, pode não ser tão simples tomar uma decisão.

Apesar de todos os investidores terem acesso a boa parte destes investimentos disponíveis no mercado, é importante ter em mente que os investimentos devem ser escolhidos de acordo com sua tolerância aos riscos e com seus objetivos – afinal, cada pessoa tem suas metas e interesses pessoais, certo?

Mas, quais seriam os investimentos mais adequados para o investidor conservador? O que considerar na hora de compor uma carteira de investimento? É sobre este assunto que você aprenderá a seguir.

Continue a leitura e conheça 5 investimentos adequados para o investidor conservador e não tenha mais dúvidas na hora de avaliar e escolher as alternativas disponíveis no mercado!

Características do investidor conservador

A primeira questão que precisa ser bem compreendida é o conceito de investidor conservador.

Um dos principais aspectos relacionados ao perfil de investimento é o que cada pessoa pensa sobre os riscos. Por isso, é fundamental entender a relação entre risco e rentabilidade no mercado financeiro.

De forma geral, os dois elementos estão ligados. Ou seja, alternativas de maior risco costumam ter expectativas maiores de rendimento do que aquelas mais seguras. É por isso que ouvimos dizer que se pode ganhar muito dinheiro na bolsa — assim como se pode perder também.

Os investimentos que oferecem maior segurança não costumam ter taxas de juros mais atrativas, já que os riscos menores funcionam para atrair os investidores com menor tolerância a riscos. Enquanto isso, as pessoas que buscam ativos mais arriscados estão, geralmente, procurando aumentar seu retorno financeiro.

E o que tais características têm a ver com o perfil de investidor? A relação está no fato de os seus objetivos e a sua abertura ao risco no mercado indicarem o seu perfil para investimentos. Por exemplo, o investidor conservador é aquele que prioriza a segurança.

Logo, ele prefere deixar a maior parte do seu patrimônio em aplicações seguras e estáveis, mesmo que receba menos dinheiro por isso. Se perder um pouco da quantia investida é uma situação que faz você perder o sono só de considerar, certamente seu perfil será conservador.

5 investimentos conservadores

Identificar o perfil de investidor é um cuidado essencial antes de começar a fazer seus investimentos. Guiar-se por ele permite que você faça escolhas mais condizentes com o que deseja e com o seu nível de conforto em relação aos riscos.

Consequentemente, é possível evitar problemas, perdas em muito nervosismo que apareceriam caso você optasse por correr riscos para os quais não está disposto.

Sabendo disso, é hora de conhecer 5 alternativas de investimentos que costumam agradar pessoas conservadoras. E que podem fazer parte do seu portfólio.

São opções que apresentam riscos limitados e têm funcionamento simples. Veja a seguir!

1. Tesouro Selic

O Tesouro Selic tem se popularizado tanto no Brasil que começou a ser visto como um substituto para a poupança. Ele é um título público, oferecido em uma plataforma de negociação do Governo Federal — o Tesouro Direto.

O título é emitido pelo governo para atrair capital e financiar suas atividades. Em troca, ele paga rendimentos que acompanham a taxa Selic (taxa básica de juros da economia brasileira). Para investir no Tesouro é preciso usar a conta de um banco ou corretora de investimentos.

Uma das vantagens do Tesouro Selic está no fato de ele ter liquidez diária. O governo garante a compra do título e não há perda dos rendimentos obtidos até a data do resgate. Então, ele é uma boa opção para reserva de emergência ou planos de curto prazo.

2. Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA é mais um título público. Seu rendimento está atrelado à taxa de inflação brasileira – o IPCA. O principal benefício está no fato de ele sempre garantir um rendimento maior que a inflação, pois sua taxa de juros é composta pelo IPCA somado a um valor pré-fixado.

Com isso, o Tesouro IPCA costuma ser uma alternativa bem vista para planos de médio ou longo prazo. Afinal, é uma garantia de que o dinheiro não perderá poder de compra para a inflação.

Apesar de o governo também garantir a recompra dos títulos de Tesouro IPCA, o investidor precisa ficar atento ao risco de perder dinheiro em casos de resgate antecipado. Diferente do Tesouro Selic, ele está exposto à marcação a mercado.

Então, o melhor é investir quantias com as quais você não pretende contar no curto prazo. Deixando o dinheiro até a data de vencimento os investidores conservadores se sentem mais tranquilos de não correr riscos de perda do capital investido.

3. CDB

O Certificado de Depósito Bancário é um título da renda fixa privado — o que indica que ele é emitido por bancos privados. O funcionamento é semelhante ao do Tesouro Selic, mas seu dinheiro fica disponível para os bancos, e não para o governo.

Diferente do que algumas pessoas podem pensar, os riscos da renda fixa privada são um pouco maiores na comparação com títulos públicos, pois a garantia de pagamento do Governo Federal é a mais estável do mercado. Contudo, o CDB e alguns outros títulos da renda fixa privada contam com a proteção do FGC.

O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) é uma segurança a mais para os investidores, pois estabelece critérios para devolver o dinheiro investido em casos de bancos que não cumpram suas obrigações.

É possível investir em CDBs por meio de bancos e corretora de valores. As corretoras apresentam títulos de instituições variadas. Logo, há diversos prazos de vencimento e taxas de rentabilidade.

4. Letras de Crédito

As Letras de Crédito (LCI e LCA) são mais opções na renda fixa privada. Também emitidas por instituições financeiras, elas funcionam de maneira muito semelhante ao CDB. A maior particularidade delas está no fato de o rendimento obtido ser isento de cobrança de Imposto de Renda.

Além disso, Letras de Crédito Imobiliário ou do Agronegócio também podem exigir aportes mínimos maiores do que os investimentos que apresentamos até aqui. Geralmente, esse fator está ligado a rendimentos maiores. Logo, vale a pena conferir na corretora de valores as opções disponíveis antes de fazer sua escolha.

5. Fundos DI

Outra escolha comum a investidores conservadores são os fundos DI. Eles são fundos de investimentos cuja proposta é acompanhar um determinado índice da economia – o CDI, uma taxa que é bastante próxima da Selic.

Fundos de investimentos são uma modalidade de investimento coletiva. Em vez de investir diretamente nos ativos, você adquire cotas do fundo e o seu dinheiro é administrado por um gestor profissional. Ele utiliza o montante investido pelo grupo para fazer seus aportes.

Os fundos DI investem em títulos que acompanham a taxa CDI — como Tesouro Selic e CDBs. Eles também apresentam baixo risco e oferecem a vantagem da liquidez diária. Assim, o investidor pode resgatar o dinheiro quando precisar.

Além dos fundos DI, também existem os fundos de renda fixa que não são atrelados a esta taxa.  Assim, estes outros fundos de renda fixa podem incluir no portfólio ativos mais variados, que não acompanhem necessariamente o CDI.

Conclusão

Agora você sabe o que é o perfil de investidor conservador e conhece 5 investimentos que podem ser interessantes para este perfil.

Vale destacar, no entanto, que estes investimentos que trouxemos no artigo não são as únicas opções disponíveis no mercado. Cada investidor pode – e deve – conhecer mais alternativas para diversificar sua carteira.

Finalmente, é importante observar também que ser conservador não significa que você não deva investir em ativos mais arriscados. Alguns conservadores optam também por diversificar o risco, mantendo o cuidado de deixar a maior parte do seu patrimônio segura, mas alocando uma pequena parcela do seu capital em produtos ou ativos de riscos um pouco maiores.

E você, gostou das informações que trouxemos neste post? Ainda está em dúvida sobre como montar sua carteira de investimentos? Então entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *