Como funcionam os investimentos LCI e LCA? Entenda!

Está em busca de um investimento seguro e com boa rentabilidade? Então, saiba que a renda fixa tem muito a oferecer para você. Indicados tanto para pessoas com perfil conservador quanto para quem quer diversificar sua carteira de aplicações, os investimentos em renda fixa são todos aqueles que permitem que o investidor preveja qual será seu rendimento ao fim do prazo estabelecido.

A famosa poupança faz parte dessa lista de aplicações. No entanto, embora seja segura e de fácil acesso, ela não apresenta bom retorno financeiro. É justamente por isso que, nos últimos anos, os investidores estão procurando outras alternativas que tenham rentabilidade mais interessante.

Entre as muitas opções que a renda fixa tem a oferecer estão a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), papéis emitidos pelos bancos com o objetivo de captar recursos para o financiamento de suas atividades.

Além do fato de serem muito seguras, a LCI e a LCA apresentam outras semelhanças: são livres do imposto de renda, adequadas tanto para planos de médio a longo prazo e oferecem rentabilidade superior à da poupança.

Neste artigo, aprenda mais sobre esses investimentos e descubra se eles são a opção certa para o seu bolso.

Quais as diferenças?

Como o próprio nome sugere, essas duas aplicações têm um ponto importante em comum: ambas são letras de crédito emitidas por bancos que, por sua vez, utilizam os recursos captados para oferecer empréstimos a seus clientes (a juros bem mais altos).

O que torna esses investimentos diferentes é justamente o que o banco deve fazer com o dinheiro arrecadado com esses papéis.

Enquanto as LCIs devem ser utilizadas para o financiamento dos empréstimos oferecidos ao setor imobiliário, as LCAs são emitidas com o objetivo de captar recursos para o setor do agronegócio.

É importante que você saiba que tanto a Letra de Crédito Imobiliário quanto a Letra de Crédito do Agronegócio são papéis que só podem ser emitidos pelos bancos quando há uma operação que possa servir de lastro, que funciona como uma espécie de garantia.

No caso das LCIs, os lastros são provenientes de empreendimentos imobiliários que necessitam de recursos para a continuidade das obras. Já no que se refere às LCAs, os lastros vêm de direitos creditórios vinculados aos produtores rurais, por exemplo.

Como essas aplicações dependem da existência de lastros, sua oferta é limitada e, em algumas situações, não será tão fácil encontrá-las no mercado.

LCI e LCA: como funcionam?

Em linhas gerais, quando adquire uma letra de crédito, você está emprestando dinheiro ao banco. Em troca disso, no futuro, receberá o dinheiro que foi aplicado acrescido de juros.

Como as LCIs e as LCAs estão no grupo dos investimentos em renda fixa, você saberá quais as condições da aplicação no momento em que comprá-las. Essa remuneração pode ser feita com taxa prefixada ou pós-fixada.

Se ela for prefixada, a taxa exata do retorno já será informada no momento da compra (10% ao ano, por exemplo), sendo possível saber exatamente qual será seu retorno na data do vencimento.

Se elas forem pós-fixadas, você saberá, no início, quando ocorrerá o vencimento do título, qual é seu indexador (CDI, geralmente) e qual a porcentagem dessa taxa que o banco pagará para você (96% do CDI, por exemplo). Nessa hipótese, a rentabilidade pode variar ao longo do tempo e você só saberá quanto vai receber no dia do vencimento do título.

O valor mínimo a ser investido nessas letras de crédito depende do banco emissor. Embora seja possível encontrar títulos a partir de R$ 1 mil, é mais comum que os valores estejam entre R$ 5 mil e R$ 30 mil.

Prazos

Os prazos para o vencimento desses títulos variam conforme a oferta da instituição financeira.

Fique atento para o fato de que, independentemente de quando o título vai vencer, a LCI e a LCA têm um prazo de carência que deve ser cumprido antes que seja solicitado o resgate antecipado. Esse período mínimo é de 90 dias.

Assim, esses investimentos são inviáveis para pessoas que ainda não têm uma reserva de emergência ou que poderão precisar do dinheiro em um prazo menor que três meses, ou seja, no curto prazo.

Além disso, para garantir boa rentabilidade, é interessante que o vencimento acordado no momento da compra seja respeitado pelo investidor. Vale ressaltar que, em geral, LCIs e LCAs que apresentam prazos maiores para o vencimento tendem a oferecer rentabilidades mais atrativas.

Segurança

Se você é um investidor conservador e está preocupado com a segurança dos seus investimentos, aqui vai uma boa notícia: tanto a LCI quanto a LCA são produtos que contam com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito, uma instituição mantida pelos próprios bancos para oferecer mais segurança a seus investidores.

Isso quer dizer que, se a instituição emissora da LCI ou da LCA falir, você não ficará no prejuízo e será ressarcido por isso.

Essa garantia, no entanto, tem um limite global. Atualmente, o valor máximo de proteção é de até R$ 250 mil por CPF por instituição financeira, com teto de garantia de R$ 1 milhão, que se renova a cada quatro anos.

Isso quer dizer que se um investidor receber R$ 300 mil devido à falência de um banco no qual ele possuía investimentos protegidos pelo FGC, ele terá seu limite global reduzido para R$ 700 mil durante os próximos quatro anos, por exemplo.

Mas, a partir de agora, o investidor terá um limite global de cobertura de um milhão de reais, somando-se todas as aplicações garantidas pelo FGC em todas as instituições financeiras.

Uma boa forma de você aumentar sua segurança e reduzir seus riscos é escolher LCIs e LCAs de bancos que apresentem altas notas de rating. Em geral, quanto maior a nota recebida por um banco, menor a possibilidade de falência, e mais seguro estará o seu dinheiro.

Isenção do imposto de renda

Tanto a LCI quanto a LCA visam ajudar no financiamento de setores importantes para o desenvolvimento da economia do país. Uma vez que o governo é o maior interessado em incentivar o desenvolvimento desses setores, essas duas modalidades de investimento são isentas de imposto de renda para as pessoas físicas.

Quando vale a pena investir?

Como você já sabe, não existem diferenças significativas entre a LCI e a LCA, do ponto de vista do investidor. Assim, a escolha por um desses tipos de investimento vai depender do objetivo de cada um.

Na hora de tomar sua decisão, é importante estar atento à taxa de rentabilidade e ao prazo de vencimento dos investimentos escolhidos, uma vez que eles apresentam baixa liquidez, ou seja, não podem ser resgatados com facilidade a qualquer momento.

Assim, mesmo que uma LCI apresente rentabilidade superior do que determinada LCA, por exemplo, o prazo dela pode não atender às suas metas. É por isso que a decisão precisa ser tomada de forma consciente, para evitar possíveis prejuízos.

Aprimorar os seus conhecimentos é a melhor forma de fazer escolhas melhores quando o assunto é o seu dinheiro. Assine a nossa newsletter e aprenda mais sobre investimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *