LCI ou CDB: descubra agora mesmo as principais diferenças

Na hora de fazer bons investimentos, é essencial conhecer as características das principais oportunidades. Na renda fixa, é comum ficar na dúvida entre LCI ou CDB. Essas são duas alternativas que rendem de acordo com o CDI e que, portanto, estão indiretamente ligadas à taxa de juros da economia brasileira.

No entanto, também apresentam algumas distinções e é essencial conhecê-las para fazer a melhor escolha. Assim, é possível garantir o maior retorno para o seu dinheiro.

A seguir, veja quais são as principais diferenças entre as duas opções e entenda como elas funcionam!

Como o CDB funciona?

Sigla para Certificado de Depósito Bancário, o CDB é uma aplicação que envolve os bancos e as instituições financeiras. De maneira simples, os investidores oferecem recursos para essas empresas, que utilizam em empréstimos e outras operações. Em troca, há o pagamento de uma taxa de rentabilidade.

O valor desse retorno varia com o perfil de risco da instituição. Bancos maiores, normalmente, apresentam valores menores por serem menos arriscados. Já os menores têm riscos ampliados e um potencial elevado de ganhos.

Em todos os casos, os valores estão protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que cobra o valor de até R$ 1 milhão por CPF.

E a LCI?

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um título com lastro no mercado imobiliário. Ou seja, os investidores oferecem os recursos e o valor é utilizado para custear diversas operações no setor de imóveis. A rentabilidade, como dito, também depende do CDI e varia com as características de cada oportunidade.

O FGC disponibiliza a mesma garantia para esse título, o que é ideal para garantir a proteção com o seu dinheiro. Para investidores conservadores ou moderados, essa é uma excelente característica.

LCI ou CDB: quais são as diferenças?

Embora os investimentos guardem algumas semelhanças, eles têm diferenças que não podem ser ignoradas. Afinal, são esses pontos que ajudam a escolher qual é a alternativa que se encaixa melhor em suas necessidades.

Para que não restem dúvidas, veja quais são os principais pontos de diferenciação entre LCI e CDB!

Pagamento de Imposto de Renda e taxas

Para começar, é essencial analisar um dos pontos importantes sobre o assunto: o pagamento de Imposto de Renda. No caso do CDB, o valor segue a tabela regressiva de IR. Ou seja, quanto mais tempo o dinheiro permanecer investido, menor é a cobrança de imposto. Veja quais são as faixas:

  • até 180 dias: 22,5%;
  • de 181 a 360 dias: 20%;
  • de 361 a 720 dias: 17,50%;
  • acima de 720 dias: 15%.

Já a LCI é isenta de Imposto de Renda. Inclusive, isso a torna uma das opções mais atraentes para quem busca bom rendimento e segurança.

Em relação a outros valores, só há a cobrança da taxa de administração. A pesquisa entre os diversos empreendimentos do mercado permite encontrar a melhor oferta.

Rentabilidade

Quanto ao rendimento, ambas as opções variam com uma porcentagem do CDI, que está ligado à taxa Selic. No entanto, o valor oferecido por cada investimento é diferente e, por isso, merece uma análise aprofundada.

O CDB, normalmente, rende de 90 a mais de 100% do CDI. Não é incomum encontrar alternativas que rendem 110% do CDI, por exemplo. Nesses casos, os maiores valores estão associados a opções com maior risco.

Em alguns casos, há o CDB prefixado, que rende de acordo com uma taxa fixa e que é conhecida na hora de assinatura do contrato.

Já a LCI fica em torno de 80 a 90% do rendimento. No entanto, por causa da isenção de IR, é possível ter um retorno melhor. De forma simples, entre um CDB e uma LCI que tem o mesmo rendimento nominal, a LCI gera menos descontos e mais ganhos.

Liquidez e vencimento

Quanto aos prazos, há pontos que variam entre LCI ou CDB. Os prazos do CDB mudam com título e podem ir de 30 dias a 36 meses, por exemplo. Para a LCI, normalmente, o valor varia de 90 dias a 36 meses, na maior parte dos casos.

Quanto à liquidez, há opções variadas. É possível encontrar CDBs que têm a possibilidade de resgate diário, enquanto outros não permitem a retirada antes do prazo de vencimento.

No caso da LCI, entretanto, há menos liquidez. O título só pode ser resgatado no prazo de vencimento, o que exige cuidado extra por parte de quem aplica.

Facilidade de acesso

Outro ponto de diferenciação tem a ver com o acesso a essas alternativas. Entre as duas possibilidades, o CDB é o mais fácil de aproveitar oportunidades. Isso porque os títulos são abundantes e, em alguns casos, é possível aplicar a partir de R$ 500,00.

No caso da LCI, por outro lado, é comum achar papéis que exigem aplicação mínima de R$ 100 mil ou mais. Por ser isenta de IR, é uma opção bem vantajosa e que, por isso, é mais rara de ser encontrada.

Como fazer a melhor escolha?

Agora que você já conhece as diferenças entre LCI ou CDB, é a hora de definir em qual alternativa investir. Não existe resposta certa, pois ambas têm pontos positivos e negativos.

Em geral, são ótimas opções para quem prioriza a segurança e até para quem deseja diversificar a carteira de investimentos.

O CDB de pequenos e médios bancos tem maior retorno e é uma alternativa para quem está disposto a correr um pouco mais de riscos. Já a LCI é ideal se você pretende maximizar a rentabilidade, graças à isenção.

Por outro lado, o CDB é indicado para quem vai aplicar valores menores e com maior liquidez. Considere sua capacidade de investimento e os seus objetivos quanto ao prazo de uso para selecionar a mais interessante nesse sentido.

Além de tudo, vale a pena ter o apoio de uma consultoria de investimentos. Com as recomendações de profissionais da área, é possível encontrar a alternativa que funciona melhor para a sua carteira de investimentos e para os seus objetivos.

Apesar de apresentarem algumas semelhanças, as diferenças entre LCI ou CDB se destacam. Ao comparar essas duas alternativas e com ajuda especializada, fica mais fácil encontrar a opção que se encaixa em seus objetivos e nas suas finanças. Assim, é possível fazer o seu dinheiro render do jeito certo.

Quer ficar sempre por dentro sobre o mundo dos investimentos? Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *