Melhor momento para apostar na renda variável?

A renda variável está sempre exposta às oscilações do mercado financeiro – especialmente durante as crises, e muitas pessoas ficam em dúvida sobre o que fazer com a bolsa em queda. Será que é momento para investir? Ou é hora de vender seus ativos por conta dos riscos?

Em primeiro lugar, é muito importante saber lidar com as variações quando você investe ou pretende investir na bolsa de valores. Isso porque elas acontecem frequentemente, embora em alguns momentos sejam mais fortes e chamem mais atenção.

Se você tem dúvidas sobre como reagir aos movimentos do mercado, podemos lhe ajudar. Leia este post e confira informações contundentes sobre o assunto para descobrir, de uma vez por todas, se este é ou não o melhor momento para apostar na renda variável.

Vamos lá?

A renda variável vale a pena com a bolsa em queda?

É muito comum encontrar opiniões e orientações bem diversas em momentos de queda na bolsa. Algumas pessoas dizem que é preciso vender tudo, outras consideram que é hora de fazer aportes e aproveitar oportunidades.

De fato, não é tão simples responder a essa pergunta. Mas como saber qual o melhor caminho? Um cuidado essencial é buscar dados confiáveis para que você seja capaz de tomas as próprias decisões.

Isso porque a renda variável costuma ser palco de um fenômeno emocional significativo: o efeito manada. Ele representa a influência que o comportamento de outras pessoas exerce sobre você.

Em muitos casos, as quedas intensas da bolsa refletem um grande efeito manada. Quer dizer, o mercado começa a cair um pouco, os investidores se assustam com o fato de ter pessoas vendendo seus ativos e acabam acreditando que precisam se desfazer das suas posições também.

De outro lado, investidores mais experientes defendem o contrário: geralmente, os momentos de comprar ações são quando a bolsa está em baixa. E a melhor hora de vendê-las seria quando o mercado está em alta.

A ideia faz bastante sentido. Pense: comprar em alta significa pagar mais caro por um ativo e vender em baixa significa, muitas vezes, que você perdeu dinheiro.

Na direção oposta, compra-se mais barato e vende-se mais caro – se o seu objetivo, obviamente, for se desfazer do papel em algum momento e ganhar com a variação dos preços.

Então, por que tantas pessoas vendem seus ativos na crise mesmo amargando prejuízo? Uma das razões é a falta de estratégia de investimento. Outra é justamente o efeito manada e a dificuldade para lidar com os riscos e a volatilidade da bolsa.

Então, o que fazer com a bolsa em queda?

Até aqui você viu que a renda variável pode valer a pena mesmo com as quedas da bolsa. Mas o que deve ser feito quando o cenário está volátil – como em uma crise? Para quem já tem ativos na bolsa a dica é manter a calma e se basear na estratégia.

Se você comprou boas empresas e tem foco no longo prazo, não há nada a ser feito com as ações que estão na carteira. Mantenha sua posição e espere a recuperação do mercado.

Vale lembrar que crises sempre aconteceram e sempre acontecerão. Ou seja, se a bolsa está em queda significa mais um movimento de baixa semelhante a tantos outros que já ocorreram.

As oscilações são esperadas para o curto prazo. Por isso, investir de olho no futuro costuma ser sempre mais seguro. E não se esqueça de que o prejuízo só existe quando há venda do ativo.

Quem realiza operações de curto prazo – como os traders – precisa ter atenção redobrada e cuidado na estratégia. É preciso entender as características de cada período de queda para saber manejar bem os riscos.

Para quem deseja começar a investir ou aumentar seus investimentos, a variação para baixo pode trazer boas oportunidades na bolsa. Então, sim, a queda na bolsa pode ser um bom momento para apostar na renda variável.

Se o seu perfil de investidor e os seus objetivos têm abertura às possibilidades de lidar bem com a renda variável, é hora de ficar de olho nos investimentos que podem ser feitos com desconto. Isso porque a queda costuma diminuir o preço de ações de boas empresas e até mesmo de fundos de investimentos – como fundos de ações e fundos imobiliários.

Quais são as oportunidades de investir na bolsa?

Antes de conhecer algumas opções que podem ser atrativas na renda variável durante uma baixa, vale a pena destacar que um momento de queda continua exigindo cuidado. Dizer que existem oportunidades não significa que tudo na bolsa é um bom negócio.

A renda variável envolve riscos e, se está passando por uma crise, eles podem ser ainda maiores. Logo, é preciso ter boas informações para tomar decisões eficientes na carteira. E, preferencialmente, evitar investir quantias de dinheiro das quais você possa precisar no curto prazo.

Depois de conhecer os cuidados essenciais, veja onde é possível encontrar oportunidades na bolsa:

Ações

As ações estão entre os principais ativos negociados na renda variável – e ganham atenção especial em épocas de queda. A explicação é a seguinte: quando o mercado está em alta, os ativos podem ser negociados pelo preço equivalente ou até maior do que os papéis da empresa realmente valem.

Já quando acontece a queda, muitas boas empresas são negociadas “com desconto”. Ou seja, o preço dos seus papéis passa a ser menor do que, de fato, a empresa vale. Assim, há oportunidade de ter companhias sólidas e com boa perspectiva de futuro (pagando menos para tê-las em sua carteira).

Fundos de índice

Outra possibilidade interessante enquanto a bolsa está em queda são os fundos de índice, que acompanham determinados índices da renda variável. Um exemplo conhecido é o ETF BOVA11, que reflete o índice Ibovespa.

Trata-se de um ETF cujo portfólio visa acompanhar as movimentações das ações das principais empresas negociadas na bolsa – que compõem o índice Ibovespa. Assim como o BOVA11, existem diversas outras opções de fundos de índice na bolsa brasileira

Uma de suas principais vantagens é permitir ao investidor ter uma carteira diversificada – o que pode ser uma proteção bastante interessante em períodos de crise.

BDRs

Mais uma oportunidade encontrada na bolsa de valores são os BDRs. Eles são certificados que estão atrelados a ações de empresas estrangeiras. Então, são uma forma de os brasileiros incluírem na carteira ativos relacionados ao mercado externo.

Ainda, pode ser uma maneira de obter maior segurança durante quedas da bolsa – a partir da exposição a outros mercados e a outras moedas, como o dólar. Logo, as BDRs podem, em diversas situações, segurar parte das variações negativas do portfólio.

FIIs

Por fim, mais uma opção da renda variável são os fundos imobiliários. Eles têm como foco os investimentos no mercado de imóveis e podem oferecer uma renda passiva para os cotistas por meio das negociações de aluguel ou venda dos bens.

Em geral, os FIIs sofrem menos variação do que as ações em períodos de queda – o que faz deles mais uma das oportunidades na crise. Além disso, mesmo sofrendo baixa no preço das cotas, o patrimônio imobiliário do fundo geralmente se mantém – o que também pode ser uma proteção adicional à carteira.

Essas são as principais oportunidades que podem ser encontradas na renda variável pelos investidores com a bolsa em queda. Se o seu perfil e objetivos estão alinhados com a bolsa, vale a pena aproveitar o momento – sempre com cautela.

Lembre-se de analisar bem o mercado e eventuais oportunidades – além das suas próprias necessidades, perfil e objetivos – para ser capaz de escolher bons investimentos.

Quer obter bons resultados na bolsa, mas tem dúvidas sobre onde investir? Então conte com a expertise da nossa parceira Valor Investimentos – assessoria de investimentos que conta com uma das mais premiadas equipes de renda variável do país!

Clique aqui e saiba mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *