Mercado de opções: o que é e como funciona?

O mercado de opções é um dos ambientes mais favoráveis à diversificação de estratégias para operação no mercado financeiro. Muitos investidores, no entanto, desconhecem este mercado e as oportunidades que ele oferece.

Se você é um destes muitos investidores que conhecem pouco ou nada do mercado de opções, este artigo é para você. Continue a leitura para conhecer alguns dos principais conceitos do mercado de opções e descobrir como utilizar este instrumento derivativo em favor dos seus investimentos e das suas operações no mercado financeiro.

Acompanhe a partir de agora!

O mercado de opções

O mercado de opções nada mais é que o ambiente no qual se negociam as opções – instrumentos derivativos que têm como objetivo principal oferecer aos investidores mecanismos de proteção (hedge) contra a flutuação de preços. E é exatamente por conta desta característica peculiar que as opções são tão utilizadas por produtores rurais – que buscam, no mercado financeiro, garantir a proteção do preço de suas produções diante das oscilações de preço ao longo do tempo.

Este mercado, no entanto, não é exclusivo destes investidores. Nos dias atuais, são muitos os investidores que buscam, no mercado de opções, boas oportunidades para especular no mercado financeiro e até mesmo alavancar suas carteiras de investimento a partir de estratégias montadas com opções.

Entenda a seguir como funcionam as opções e conheça os principais protagonistas deste mercado.

Como as opções funcionam?

As opções são contratos que derivam de outros ativos, cujas negociações ocorrem sobre o direito de comprar (call) ou vender (put) um determinado ativo (ativo-objeto) por um preço pré-determinado – conhecido como strike ou preço de exercício, em um período previamente estabelecido entre as partes.  

As calls, portanto, concedem ao titular da opção o direito de comprar o ativo em uma data futura por um preço já estabelecido, enquanto as puts conferem a ele o direito de vender o ativo a uma data futura por um preço definido anteriormente.

Titular e lançador

O dono da opção é conhecido como titular. É este investidor que tem o direito – mas não a obrigação – de comprar ou vender um ativo a uma data futura, pelo preço de exercício.

Aquele que faz a venda da opção se compromete a concretizar o negócio firmado –  e vender a opção caso o titular opte por exercer seus direitos sobre a opção – é conhecido como lançador. È ele quem recebe um prêmio financeiro por este comprometimento em relação ao ativo-objeto da opção.

Estilo das opções

Conhecidos os papéis do titular e do lançador no mercado de opções e o conceito de strike, call e put, é preciso que você saiba que existem dois tipos de opções no mercado: as opções de estilo americano – que permitem o exercício da opção até a data de vencimento – e as opções de estilo europeu – conhecidas por permitirem o exercício da opção somente em sua data de vencimento.

Vale destacar que as opções de compra tendem a se tornar mais caras à medida que o preço do ativo-objeto avança no mercado, enquanto as opções de venda tendem a se tornar cada vez mais caras em caso de queda nos preços de um determinado ativo-objeto.

Quando a opção não é exercida pelo titular – seja na data do seu vencimento, no caso das opções de estilo europeu, ou até a data do vencimento, no caso das opções de estilo americano, este contrato expira. É neste momento que as opções “viram pó”, como é comum se ouvir falar no mercado financeiro.

Por que investir em opções?

Como você pode perceber, as opções são instrumentos interessantes para especular no mercado financeiro – apostando na alta ou queda de um determinado ativo ou até mesmo na manutenção dos preços de um ativo-objeto durante um determinado período de tempo. Mas, quais seriam as vantagens de se investir em opções?

Um dos principais motivos pelos quais se investe em opções é justamente o fato destes instrumentos permitirem ao investidor criar diversas estratégias para proteção de suas posições no mercado financeiro de eventuais oscilações de preço – protegendo, por exemplo, as ações que compõem uma carteira de investimento. Este, no entanto, não é o único motivo pelo qual se opera opções.

Além de terem um papel fundamental nas estratégias de hedge, as opções permitem ao investidor com apetite ao risco criar estratégias com o objetivo de aumentar seus rendimentos no mercado financeiro. Estas estratégias são definidas a partir da análise particular de cada investidor e dos objetivos pessoais do investidor.

É neste contexto que surgem as operações conhecidas como “estruturadas”. As operações estruturadas com opções são montadas a partir de uma estratégia pré-estabelecida, na qual se identifica os possíveis cenários da operação e se define zonas de ganhos e perdas, que podem ser alcançadas de acordo com a movimentação do mercado durante o período da operação.

As operações com opções podem ser utilizadas, portanto,  para a realização de hedge de posições em ativos financeiros,  fixação de preço de uma futura aquisição de um determinado produto ou até mesmo para a obtenção de maiores ganhos em uma operação na comparação com o mercado à vista – seja na queda ou na alta de um ativo.

Na hora de operar com opções, no entanto, é fundamental que o investidor conheça bem este mercado e se atente ao prazo de vencimento de cada contrato. No mercado brasileiro, os vencimentos das opções ocorrem toda terceira segunda-feira de cada mês.

Os principais riscos do mercado de opções

Apesar de muito interessantes para fins de proteção e especulação, as operações com opções têm seus riscos. Um dos maiores riscos deste mercado é o uso da alavancagem nas estratégias dos investidores.

A alavancagem é uma ferramenta muito utilizada por quem deseja estabelecer um plano especulativo no mercado a partir das opções. Ela permite ao investidor impulsionar seus rendimentos, mas também eleva o risco de perdas maiores. Por conta disso, é fundamental que se utilize a alavancagem com consciência e conhecimento.

Além do risco inerente à alavancagem, os investidores devem se atentar aos riscos que envolvem a oferta e demanda do mercado em relação ao ativo-objeto – também conhecida como liquidez – e às chances de as opções virarem pó, fazendo com que o valor investido seja perdido pelo dono da opção.

Se bem utilizadas pelos investidores, no entanto, as opções podem ser um instrumento derivativo muito interessante para proteção da carteira de ações e para especulação no mercado financeiro – aumentando as possibilidades de o investidor conseguir obter bons resultados financeiros com suas operações.

Se você tem um perfil de investidor mais agressivo e deseja saber mais informações sobre as inúmeras estratégias possíveis com opções, contate seu assessor de investimentos. Ele é o profissional mais indicado para lhe apresentar algumas oportunidades de operações e lhe auxiliar nesta jornada de investimentos no mercado de opções!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *