Já ouviu falar em mini índice? Veja como negociar um

Dependendo do seu nível de aprofundamento no universo dos investimentos em renda variável, é bem provável que você já tenha se deparado com uma espécie de ativo chamada de mini índice.

Eles são muito procurados por investidores menores, que não tem tanto para investir, mas, mesmo assim, querem aproveitar as possibilidades de retorno maiores oferecidas por aquilo que é conhecido como mercado futuro, ainda que isso represente riscos de nível mais elevado. Interessado? Então prossiga a leitura.

O que é mini índice?

No jargão técnico, um mini índice é um mini contrato derivado do Índice Bovespa negociado no mercado futuro. Como nessa definição você deve ter se deparado com diversos termos desconhecidos, vamos explicá-los um a um, o que melhorará sua compreensão sobre o que é um mini índice.

Primeiro vamos entender como funciona o mercado futuro. Na prática, ele lembra uma forma de pagamento muito comum, mas que caminha para o desuso: os cheques pré-datados. Neles, o consumidor entregava o cheque ao comerciante indicando uma data futura para que ele fosse sacado, com a promessa do vendedor de que isso seria feito somente no dia marcado.

De maneira similiar, isso é o que acontece no mercado futuro, no qual duas partes estabelecem um contrato para realizar um negócio numa data futura preestabelecida. Esses contratos são chamados de derivativos, pois eles oscilam em função de outro ativo (ou sejam são derivados deles). Esses ativos podem ser moedas estrangeiras, commodities ou mesmo índices, como é o caso do Ibovespa.

O índice Bovespa é uma carteira teórica, cuja variação representa o desempenho das ações mais negociadas e com maior representatividade no mercado brasileiro. Então quando você ouve que a Bovespa cresceu 1% no dia, significa que esse conjunto de ações teve esse aumento naquele pregão.

Assim, os contratos futuros atrelados a índices não acompanham um ativo específico e sim a variação dessa carteira teórica que oscila de acordo com o sobe e desce da bolsa de valores brasileira.

Por muito tempo, só era possível investir no mercado futuro por meio de contratos cheios, que demandam muito dinheiro. Para mudar isso, foram criados os mini contratos, que tem valor consideravelmente menor e com isso são acessíveis a pequenos investidores.

Assim, o míni índice é uma espécie de mini contrato negociado no mercado futuro baseado nas oscilações do índice Ibovespa. Contratos cheios e os mini índices operam da mesma forma, com a diferença de que os valores necessários para investir tornam a segunda opção mais atraente inclusive para investidores com menor capacidade financeira.

Como investir em mini índice?

O primeiro passo para operar um mini índice é ter uma conta aberta em uma corretora de valores da sua confiança. Com o cadastro aberto, defina qual será o valor investido e faça a transferência para a nova conta, sempre lembrando que isso deve ser feito entre contas de mesma titularidade.

Com o dinheiro na conta, é a hora de escolher e comprar o mini índice de sua preferência, como se fosse uma ação. Essa operação pode ser feita pela internet, por meio do home broker da corretora.

O ideal é que a escolha do mini índice se dê com base em uma análise cuidadosa e siga uma estratégia, definida de acordo com o perfil do investidor.

Quais são as suas principais características?

Na hora de escolher os mini índices, ajuda muito saber algumas características deles, como a data de vencimento e a forma pelo qual eles são nomeados. Apontamos e explicamos esses detalhes nos próximos tópicos. Confira.

Nomes

Todos os contratos negociados no mercado futuro possuem seu código de negociação. Saber ler esse código permite ao investidor conhecer diversas características do contrato em que ele está interessado.

No caso de um minicontrato atrelado ao Ibovespa, a identificação acontece pelas letras WIN, seguido por uma consoante que indica o mês de vencimento e um par de número que aponta o ano.

Vencimentos

Os vencimentos dos contratos de mini índice acontecem sempre na quarta feita mais próxima do dia 15 do mês de vencimento, sendo que isso só acontece em meses pares (fevereiro, abril, junho, agosto, outubro e dezembro). Cada um desses meses é representado por uma consoante, conforme a lista a seguir:

  • Fevereiro (G);
  • Abril (J);
  • Junho (M);
  • Agosto (Q);
  • Outubro (V);
  • Dezembro (Z).

Assim, um mini índice denominado WINV 20 tem vencimento estabelecido para a quarta-feira mais próxima ao dia 15 de outubro de 2020.

Variação de pontos

As oscilações do mini índice e quanto isso representa de lucratividade ao investidor são calculadas com base em uma variação de pontos, já que todos os minicontratos são cotados com base nesses pontos.

Um contrato cheio vale 75 mil pontos, com cada pontos equivalendo a R$1. Já os minicontratos valem os mesmos 75 mil pontos, mas equivalem apenas a 20% do contrato cheio na hora de convertê-lo para reais.

Essa pontuação oscila de acordo com a cotação do Ibovespa. De maneira resumida, toda vez que o índice sobe ou desce 1 ponto, o investidor ganha ou perde R$O,20. Isso acontece sempre e é chamado de ajuste diário.

Esse cálculo pode ser feito de forma simples utilizando a seguinte fórmula: número de contratos x variação de pontos x R$0,20. Em um exemplo, uma pessoa com apenas um contrato que oscilou positivamente 500 pontos teria como retorno R$100.

Na hora de investir no mini índice é preciso considerar os ajustes diários, que demanda o depósito de uma margem de garantia junto a corretora, e a cobrança dos impostos e taxas devidas.

Como é possível lucrar com mini índices?

Os mini índices permitem que sejam implementadas diversas estratégias de investimento, tanto para quem quer obter uma boa rentabilidade, tanto para quem quer apenas proteger seu patrimônio, já que esse tipo de minicontrato trabalha sobre a variação do preço dos ativos.

Já na hora de ampliar a chance bons retornos, os mini índices oferecem diversas opções. Entre elas estão a alavancagem, que permitem que o investidor atue com mais dinheiro do que ele realmente tem, e o day trade, no qual são feitas operações de compra e venda de contrato de forma diária, lucrando assim com as oscilações nesse período mais curto.

Embora sejam estratégias que podem trazer retornos maiores, elas demandam mais conhecimento sobre como funciona o mercado, bem como um acompanhamento mais próximo de tudo o que acontece com esses contratos.

Combinando uma boa dose de aprendizado sobre como funciona um mini índice e uma análise cuidadosa de como planejar a aplicação, essa forma de investimento costuma ser muito interessante para quem procura maneiras de diversificar sua carteira.

Quer conhecer mais sobre os fundos de renda fixa? Confira nosso post sobre o assunto clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *