O que é Carry Trade? Saiba agora!

Além dos mercados financeiros e investimentos regulamentados por instituições brasileiras, existem outras opções para quem deseja realizar atividades de especulação. Você já ouviu falar no carry trade?

Ele acontece no mercado Forex e envolve transações entre diferentes moedas e países. Entendê-la pode ser bastante interessante para aprofundar seus conhecimentos e ter mais segurança na hora de fazer suas operações.

Confira este post para saber mais sobre o carry trade e descobrir como esta operação acontece!

O que é o carry trade?

O termo carry trade pode também ser conhecido por outras denominações — como custo de carregamento, rollover ou swap. Ele se refere, basicamente, ao ganho (ou prejuízo) obtido com a diferença entre as taxas de juros de dois países.

Na prática, significa pedir um empréstimo em determinada moeda, realizar o câmbio para outro país e depois emprestar o dinheiro. Normalmente, a operação é feita pegando a quantia emprestada em um local com menor taxa de juros e investindo em um que tenha juros maiores.

Algumas nações, como Estados Unidos ou Japão, por exemplo, são conhecidas por manter suas taxas de juros da economia bem baixas. Muitas vezes, próximas de zero. Assim, investidores acabam vendo a oportunidade de aproveitar a diferença entre estes e outros países.

Há alguns anos, a taxa Selic praticada no Brasil era atrativa a operações de carry trade feitas por estrangeiros. Com um empréstimo a uma taxa menor que 1% em um país, eles poderiam investir a uma rentabilidade de mais de 15% por aqui.

O ganho da operação é a diferença entre os juros praticados em cada local. Claro, depois de considerar os custos e a taxa de câmbio para realizar transações com moedas diferentes.

Como ele funciona?

O carry trade acontece no mercado Forex (ou FX) e envolve duas movimentações ao mesmo tempo: uma de pedido de empréstimo e outra de disponibilização do valor para empréstimo.

O primeiro passo é escolher um par de moedas. Ao fazer uma ordem de compra do par no mercado FX, as duas operações serão realizadas simultaneamente.

Em um exemplo envolvendo o dólar americano e o real, aconteceria da seguinte forma: o par aparece no mercado como um lote padrão de determinada cotação. Ao adquirir a paridade BRL/USD, o investidor está pedindo dólares emprestados para comprar reais.

Os reais serão, então, investidos em algum ativo, de modo que os juros a receber por eles sejam maiores do que os que precisam ser pagos pelo empréstimo em dólar. Quando o objetivo for atingido, a operação é desfeita.

Ou seja, o câmbio é novamente realizado e o empréstimo em dólar é pago. No fim, a diferença entre os juros recebidos e os pagos é o resultado do carry trade. Se a divergência for negativa, a transação causou prejuízo.

Para que o carry trade serve?

Como você pode ver, o carry trade é uma atividade de especulação e faz uso da alavancagem. Isto é, o investidor não precisa disponibilizar o próprio dinheiro, pois na verdade realiza um empréstimo para ter a quantia a investir.

Sendo assim, ele costuma ser utilizado por pessoas que querem alavancar seus ganhos nos investimentos, principalmente aproveitando oportunidades cambiais. Geralmente, a operação é usada por estrangeiros que buscam países com maior taxa de juros do que o seu.

Além de poder oferecer ganhos acima da média para os investidores, o carry trade também influencia diretamente na economia dos países. Isso porque, em alguns casos, há entradas ou saídas significativas de dinheiro estrangeiro na economia nacional.

Quem pratica o carry trade tem interesse em países que apresentem juros altos e moeda estável, pois são características que diminuem os riscos da operação. Assim, alguma mudança nesses aspectos pode causar grande saída do capital estrangeiro e gerar desafios para a economia do país.

Quais são as vantagens e desvantagens do carry trade?

O carry trade é bastante comum no mercado Forex. Uma das principais vantagens é o fato da diferença entre os juros ser paga diariamente para o investidor. Desse modo, quando há ganhos, eles são regulares.

Além disso, existem possibilidades de lucro significativas com a operação, caso o investidor tome decisões eficientes e não enfrente instabilidades.

Entretanto, o carry trade é uma transação de alto risco, especialmente quando consideramos que o mercado FX não é regulamentado no Brasil. Essa é uma grande desvantagem, uma vez que os investidores brasileiros não contam com segurança para considerar a opção.

O Forex é um mercado virtual que não apresenta uma instituição para centralizar as operações. Nesse sentido, é bem diferente de realizar negociações na bolsa de valores, por exemplo.

Como o Brasil não autoriza nenhuma instituição a mediar o carry trade, os brasileiros que desejam atuar no mercado precisam abrir conta em corretoras estrangeiras. Essa é uma iniciativa perigosa, pois há uma maior exposição a fraudes.

Outros problemas relevantes são:

  • Necessidade de se submeter às regras financeiras de um país diferente;
  • Risco de ter seus dados expostos de forma indevida pelas empresas estrangeiras;
  • Dificuldade para verificar todas as informações importantes antes de investir;
  • Problemas para conhecer e lidar com as limitações das instituições — por exemplo, em relação aos custos das operações e às regras para saque do dinheiro;
  • Perigo do ambiente virtual ser invadido por hackers.

Que riscos existem no carry trade?

Acabamos de falar que os riscos são as maiores desvantagens do carry trade e que um deles é a falta de regulamentação do mercado Forex no Brasil. Conheça outros perigos envolvidos na operação.

Mudanças na cotação das moedas

Os especuladores que realizam o carry trade estão se expondo diretamente às variações cambiais entre países. Logo, um grande risco nessa operação são as mudanças na cotação das moedas que estão sendo negociadas.

Se houver mudanças significativas na cotação, o investidor pode ver seu lucro diminuir bastante ou até mesmo virar prejuízo. Afinal, será preciso pagar mais caro para trocar a moeda depois da realização do empréstimo.

Exposição às modificações da política monetária

Mais um fator muito sensível nas transações de carry trade é o fato de que o investidor se expõe à política monetária de outro país. Mudanças realizadas pelo governo podem atrapalhar a estratégia e inviabilizar os ganhos.

A queda da taxa Selic no Brasil é um exemplo de mudança desse tipo. Nos últimos anos, o país reduziu muito as vantagens que especuladores encontravam ao realizar o carry trade para aproveitar os juros altos por aqui.

Inclusive, o carry trade acaba apresentando riscos também para a própria economia nacional, já que em situações de mudanças os investidores estrangeiros tendem a tirar seu dinheiro do país. Assim, a atividade especulativa pode estar ligada, por exemplo, à alta do dólar e à desestabilização da economia.

Agora você entendeu o que significa o carry trade e como ele funciona para os especuladores. Embora possa parecer uma boa opção para estrangeiros, é importante atentar para a falta de regulamentação da prática no Brasil.

Quer conhecer mais possibilidades de especulação na bolsa de valores brasileira? Saiba mais sobre o mercado de derivativos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *