O que é e como funciona um fundo Private Equity?

A maneira mais conhecida de investir em empresas é investir em ações na bolsa de valores — além de, claro, empreender diretamente no seu próprio negócio. O que muitos investidores não sabem é que é possível investir em empresa por meio do fundo Private Equity.

Este fundo visa investir em companhias que não têm seu capital aberto. Ou seja, que não disponibilizam ações no mercado. Isso é possível porque o Private Equity é um tipo de investimento privado que funciona de uma maneira bastante particular.

Quer saber como se dá este funcionamento e descobrir formas de investir por meio de um fundo desse tipo? Confira as informações deste post!

O que é o fundo Private Equity?

Primeiro vamos falar do Private Equity de maneira geral. Ele é uma forma de investimento privado, que acontece diretamente em empresas cujo capital social não é aberto para negociações na bolsa de valores.

Com isso, estas companhias podem aceitar investimentos diretos de outras empresas ou de investidores qualificados. Eles não só injetam dinheiro na companhia, mas normalmente passam a participar do capital social. Ou seja, tornam-se sócios do negócio e participam ativamente da gestão.

Essa é, inclusive, uma característica fundamental para que o Private Equity ofereça retornos interessantes. Como o investidor participa da gestão, ele é um dos maiores responsáveis pelo crescimento e valorização do negócio.

Desse modo, ele trabalha para que o retorno do investimento seja positivo. Depois disso, pode se desfazer da posição e vender sua participação na empresa, obtendo lucro com essa negociação. Esse é um resumo do que acontece no Private Equity.

O que seria então um fundo Private Equity? Trata-se de um investimento que permite que mais investidores tenham acesso a essa alternativa ao comprar cotas de um fundo, juntamente com outras pessoas físicas ou jurídicas.

Como ele funciona?

O fundo Private Equity funciona como um fundo de investimentos no qual os investidores se tornam cotistas e participam das vantagens dessa aplicação. Em geral, os fundos Private Equity são voltados para investidores profissionais ou empresas.

O investimento em Private Equity pode acontecer por meio de fundos de investimento em participações (FIP), uma modalidade regulamentada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no Brasil. Os cotistas adquirem cotas neste fundo e os gestores concretizam a participação societária nas empresas escolhidas.

Como dissemos, o foco não é apenas ter sociedade no negócio, mas participar de maneira ativa da sua administração. Dessa forma, os gestores de fundos Private Equity têm papel importante nas decisões empresariais estratégicas.

Assim, eles atuam nas escolhas fundamentais para o negócio. Por exemplo, operações internas, planos de crescimento, decisões financeiras, caminhos tomados pela administração, estratégias comerciais, etc.

Diversas empresas se disponibilizam aos investidores interessados em Private Equity pela oportunidade de contar com esse suporte administrativo. Por isso, a maioria das companhias que aceita investimentos desse tipo são negócios de médio porte, focados na busca por crescimento.

Que partes estão envolvidas no Private Equity?

Para entender melhor o funcionamento do Private Equity é importante saber identificar todas as partes envolvidas nesse investimento. Há, claro, as empresas que são o alvo desse capital, conforme já explicamos anteriormente.

Elas aceitam a negociação de investimentos privados e incluem a participação dos gestores dos fundos na sua administração. Em geral, o objetivo por trás disso é conseguir capital e suporte administrativo para ampliar sua posição no mercado.

Além das empresas, outras figuras importantes nessa transação são os gestores dos fundos Private Equity. Eles podem ser pessoas físicas ou jurídicas, desde que estejam habilitados pela CVM para realizar investimentos como profissionais.

Esses gestores têm tanto a responsabilidade de gerenciar o dinheiro dos investidores do fundo quanto a função de participar da administração da empresa. Com isso, é possível perceber que grande parte do sucesso desse investimento tem relação direta com a gestão do fundo, certo?

Logo, quem considera participar de um fundo Private Equity precisa saber avaliar com cuidado a qualidade dos gestores. E, assim, chegamos à última parte envolvida nessa operação: os investidores. Eles também são pessoas físicas ou jurídicas que tenham capacidade financeira comprovada pela CVM para realizar este investimento.

Como você pode perceber, a modalidade de investimento em fundo Private Equity não está disponível a pequenos investidores. Apenas investidores qualificados conseguem ter acesso ao Private Equity e participar dos seus lucros ao se tornarem cotistas.

Para entender o que é um investidor qualificado, basta clicar aqui.

Quais as vantagens desse investimento?

O fundo Private Equity apresenta vantagens tanto para as empresas que recebem esses investimentos quanto para os investidores. No caso das empresas, existe a oportunidade de alavancar o negócio contando com capital e com o know-how dos gestores do fundo.

A ampliação de sua presença no mercado e a valorização da companhia são outros benefícios centrais para as empresas que se abrem ao investimento do tipo Private Equity. Com isso, essa opção tem chamado a atenção dos empreendedores.

Ela também é vantajosa para os investidores. Um dos benefícios é a oportunidade de conseguir bons retornos com a valorização do negócio — principalmente quando há participação direta na gestão. Além disso, o Private Equity é considerado uma boa estratégia de diversificação dos investimentos.

O mais comum é que esse investimento seja uma operação de médio e longo prazo — geralmente, a partir de três anos. Isso significa que os investidores visam a valorização da empresa a partir desse período para que seja possível conseguir bons retornos com ela.

Qual a diferença entre Privade Equity e Venture Capital?

Esses dois são investimentos bastante parecidos. A principal diferença entre Private Equity e Venture Capital é o fato de que o Venture Capital tem um foco evidente em empresas pequenas — especialmente startups. São negócios que estão iniciando, mas apresentam grande potencial de crescimento.

Considerando essa especificidade, o Venture Capital é considerado um investimento de maior risco, se comparado ao Private Equity. Afinal, o primeiro busca investir em companhias que ainda não têm um mercado estável ou processos organizados de operação e logística.

Por sua vez, o Privade Equity procura empreendimentos que já tenham certa estabilidade. Ou seja, trabalhem com um modelo claro de administração e apresentem um histórico de bom faturamento, assim como um mercado estabelecido.

Diversos setores estão no alvo dos fundos de Private Equity, principalmente os que apresentam boas possibilidades para consolidação do negócio. Inclusive, é muito comum que as empresas abram seu capital e façam o IPO (Oferta Pública Inicial) na bolsa de valores depois de passarem por essa operação de investimento externo.

Agora você sabe o que é e como funciona o fundo Private Equity. Ele apresenta benefícios atrativos para investidores qualificados que visam o médio e o longo prazo. Assim, é mais uma das alternativas para encontrar oportunidades de rendimento no mercado financeiro!

Quer acompanhar mais conteúdos relevantes como este? Assine nossa newsletter e receba informações em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *