O que são dividendos e proventos? Descubra!

Uma das grandes vantagens de investir em ações é se tornar sócio de empresas que pagam proventos aos investidores. Afinal, esperar os papéis valorizarem para vendê-los por um valor mais alto não é a única maneira de lucrar com os ativos.

Além disso, ter uma estratégia para receber dividendos e proventos pode lhe garantir uma renda passiva com a participação nos resultados das companhias. Logo, vale a pena entender sobre o assunto para basear decisões eficientes e potencializar seus ganhos.

Então, confira as informações deste post e saiba tudo que precisa sobre o pagamento de dividendos e proventos no mercado brasileiro!

O que são proventos?

Toda empresa visa a obtenção de lucro, certo? Em dado momento, o lucro obtido com as atividades do negócio pode ser dividido entre os sócios. No caso de empresas de capital fechado, quem recebe o valor são os sócios diretos do negócio.

Já em companhias de capital aberto, os acionistas têm direito à participação sobre os bons resultados. Normalmente, ao menos 25% do lucro líquido obtido pelas empresas listadas em bolsa são distribuídos anualmente aos investidores. Os proventos se referem a esses rendimentos.

Vale destacar que as empresas listadas na bolsa têm maneiras diferentes de lidar com a distribuição de lucro. Existem aquelas, por exemplo, que são conhecidas como boas pagadoras de dividendos porque costumam distribuir porcentagens superiores a estes 25%.

Em geral, companhias que distribuem bons dividendos são negócios já maduros. Isso porque empresas menores ou em crescente expansão têm a necessidade de reinvestir seus lucros para ampliar e consolidar as atividades no mercado.

As informações sobre a distribuição de proventos devem estar estabelecidas no estatuto de cada empresa — por exemplo, a porcentagem distribuída e o período em que o pagamento acontece. Assim, os investidores conseguem checar esse aspecto antes de investir.

Quais são os tipos de proventos pagos?

Como falamos, proventos são os recursos que as empresas distribuem com seus acionistas. Mas não há apenas uma forma de fazer isso.

Conheça a seguir os principais tipos de proventos do mercado brasileiro.

Dividendos

Os dividendos são os proventos mais conhecidos. Inclusive, muitas pessoas entendem os dois termos como sinônimos. No caso, os dividendos se referem à distribuição de lucro mais comum entre as companhias.

Eles devem ser distribuídos pelo menos uma vez ao ano, mas as empresas também podem pagar dividendos mais de uma vez neste mesmo período. Cada acionista recebe um valor proporcional ao número de ações que tem.

Os dividendos são isentos de Imposto de Renda para o investidor. A empresa já paga imposto referente ao dinheiro antes de distribuir. Então, por esse motivo, não é preciso pagar o tributo novamente.

Juros sobre capital próprio

Os juros sobre capital (JSCP) próprio são semelhantes aos dividendos. A principal diferença é que os JSCP não são isentos de IR. As companhias não pagam imposto sobre o valor, logo, a taxa é repassada aos investidores.

O repasse do IR se dá porque os juros sobre capital próprio são declarados pelas companhias como custos. Com isso, elas deduzem a quantia da sua declaração e quem precisa pagar a alíquota de 15% são os próprios acionistas que recebem o provento.

Apesar de ter a desvantagem do imposto, um ponto positivo é que muitas empresas costumam distribuir JSCP de maneira mais frequente e com valores maiores.

Bonificação

Outra maneira de receber proventos de uma empresa é por meio da bonificação. Ela não precisa seguir regras específicas. Por isso, costuma acontecer em momentos nos quais o negócio apresenta resultados acima do esperado.

A bonificação é uma maneira de agradar os acionistas e aumentar o interesse do mercado nas ações da empresa. A companhia pode distribuir bonificações em forma de dinheiro ou papéis. Na segunda situação, os investidores recebem novas ações sem precisar comprá-las.

Como se dá o pagamento dos proventos?

Você provavelmente já sabe que as ações são ativos da renda variável negociados na bolsa de valores, certo? Por esse motivo, existe uma organização para definir o período em que os acionistas mantêm o direito de receber proventos das empresas.

Quando a companhia anuncia o pagamento de proventos, estabelece também uma data limite para a compra de ações com o direito de recebê-los. O último dia para que o investidor possa adquirir os papéis e estar apto para receber proventos é chamado de dia “com”.

Na manhã seguinte, será um dia “ex” — no qual novos investidores que negociarem as ações na bolsa não terão mais direito aos proventos que serão pagos em breve. Caso obtenham e mantenham os papéis, eles poderão participar das próximas divisões de lucro.

Os proventos são divididos de acordo com o número de ações que cada pessoa tem. Quem estiver em posição de ganhá-los pode calcular seu lucro multiplicando a quantidade de ativos pelo valor que será pago — geralmente, a empresa divulga o valor para cada lote de ações.

O dinheiro pago pelas companhias aos investidores é comumente depositado na conta dos mesmos na corretora de valores ou outra instituição financeira utilizam. O pagamento é feito diretamente pelas empresas com mediação da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC).

Vale a pena receber proventos e dividendos?

Participar dos lucros de uma empresa de capital aberto é uma oportunidade interessante, especialmente para investidores que têm objetivos de longo prazo na bolsa. Afinal, você pode ter uma renda passiva, além de se beneficiar com a valorização dos papéis.

Os proventos e dividendos servem para realizar diversos planos ou podem ser reinvestidos em mais ativos de seu interesse para impulsionar sua estratégia de investimentos. Muitas pessoas planejam sua aposentadoria dessa forma.

É importante destacar, no entanto, que a renda variável permite que os investidores coloquem em prática várias estratégias de investimentos. Existem possibilidades na especulação com as variações de preço do mercado, assim como a opção de investir em empresas que estão em crescimento.

Neste último caso, ainda que não se ganhe proventos significativos, existe a probabilidade de a companhia crescer muito e as ações apresentarem intensa valorização ao longo do tempo.

Mais uma maneira de lucrar na bolsa

Contudo, além da renda passiva, uma vantagem de buscar bons dividendos na bolsa é que eles estão relacionados a negócios mais maduros e estáveis. Desse modo, normalmente são empresas que dominam o setor e que se afetam menos com as oscilações no mercado.

Focar no recebimento de proventos é, portanto, mais uma forma de lucrar na bolsa. Cada opção tem suas vantagens e desvantagens. O mais importante é que o investidor pense no seu perfil e nos seus objetivos na hora de decidir.

Conclusão

Como você descobriu, os dividendos e proventos são rendimentos oferecidos aos acionistas de empresas negociados em bolsa. E são mais uma opção de rentabilidade para aqueles que investem em ações visando o longo prazo.

Agora, utilize as informações listadas neste artigo para fazer melhores escolhas na sua carteira. Mas não esqueça que é possível seguir mais de uma linha de investimentos – sempre considerando seus objetivos e perfil.

Além disso, vale a pena acompanhar o calendário das empresas para se organizar melhor. Conhecendo as datas planejadas para a distribuição de lucros e o histórico de pagamento, você define suas estratégias de investimento e consegue fazer escolhas mais sólidas de investimento.

Que tal acompanhar mais conteúdos sobre finanças, investimentos e ativos da renda variável? Assine a newsletter do blog e receba mais conteúdos de valor no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *