Os principais índices de inflação que todo investidor deve conhecer

Você sabe quais são os principais índices de inflação? Mesmo que não saiba ao certo o que eles representam e como funcionam, certamente sua vida já foi impactada pelos efeitos da inflação — especialmente para quem vive no Brasil.

Controlar a inflação em nosso país tem sido um dos principais desafios nos últimos anos. Mas, afinal, o que é a inflação?

De maneira simples, a inflação representa a variação no preço dos produtos comercializados nos estados brasileiros. Assim, ela é uma das responsáveis, por exemplo, pelo aumento dos seus gastos no supermercado devido à alta nos valores de determinados produtos.

Quer saber como se mede a inflação no Brasil? Então confira nossas informações sobre os principais índices de inflação utilizados no país!

O que são os índices de inflação?

Agora que você entende o que é a inflação e o que o conceito representa para as pessoas, é importante saber que não existe apenas uma maneira de medir as variações de preços nos produtos vendidos em um país.

Na verdade, existem vários índices utilizados para identificar a inflação. A variedade faz todo sentido quando pensamos que há uma grande diversidade de itens a serem avaliados em relação ao seu preço. Logo, a inflação pode ser diferente dependendo do que se considera.

Por isso, os principais índices de inflação partem de cálculos um pouco diferentes. Cada um avalia determinados produtos, fazendo com que o resultado do cálculo de um índice possa ter um valor diferente de outro.

Outro aspecto relevante quando se fala da inflação é que, normalmente, a população sente efeitos maiores na realidade cotidiana. Isto é, muitas vezes, a variação de preço percebida pelos brasileiros será maior do que os índices mostram.

Esse é um fenômeno natural e não indica fraude ou algo do tipo. Lembre-se de que cada índice se baseia em uma cesta de produtos específica. Em contraponto, você e os outros brasileiros adquirem itens muito mais variados ao longo do mês. Assim, é normal que sintam uma inflação maior.

Por que é importante conhecê-los?

Algumas pessoas podem se perguntar: se o valor indicado nos principais índices de inflação não reflete exatamente o que sinto no bolso, por que é importante conhecê-los? Embora seja uma dúvida pertinente, saiba que vale sim a pena acompanhar os indicadores oficiais.

Ainda que apresente oscilações em relação à vivência real, os índices de inflação permitem tirar conclusões importantes sobre as variações de preço e as tendências do mercado em dado período. Também é possível perceber diferenças regionais.

Ou seja, analisando os indicadores é possível avaliar como estão os efeitos históricos da inflação em todo o país e nos diferentes estados. Os dados também são úteis para que os governos observem as influências no comportamento da população e planejem suas políticas econômicas.

Além disso, as informações certamente são importantes para o seu planejamento financeiro pessoal. Afinal, entender como seu poder de compra está sendo afetado é fundamental para montar um orçamento realista e proteger-se de problemas financeiros.

O conceito de inflação ganha uma relevância maior para os brasileiros que investem — principalmente os que focam no longo prazo.  Isso porque é preciso considerar os descontos da inflação para avaliar seus rendimentos reais.

Em outras palavras: só se considera o ganho real de um investimento depois de descontar o índice de inflação. Assim, algumas alternativas – como a poupança – apresentam um risco maior de rentabilidade negativa. Logo, vale a pena considerar a inflação ao montar sua carteira.

Quais são os principais índices de inflação?

Um dos passos para ser capaz de entender os efeitos da inflação no seu dia a dia e de se planejar em relação aos investimentos é conhecer os principais índices de inflação. Além de apresentá-los, vamos explicar alguns detalhes sobre o cálculo de cada um.

Como dissemos, cada índice se configura por uma metodologia própria. Além disso, os índices são calculados por diferentes órgãos — por exemplo, a FGV (Fundação Getúlio Vargas), o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) ou a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Confira a seguir!

IPCA

O IPCA significa Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo e é considerado o índice de inflação oficial do Brasil. Ele é medido pelo IBGE e a observação de preços acontece entre o 1º e o 30º dias do mês.

Esse indicador avalia a variações de preços de vários itens — como habitação e produtos para residências, serviços de educação, saúde e transporte, produtos de cuidados pessoais e, claro, artigos de alimentação e bebida.

O IPCA é um indicativo do custo de vida de famílias brasileiras que tenham renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos. Os investidores costumam conhecer o índice, pois alguns investimentos atrelam a rentabilidade a ele. Por exemplo, o Tesouro IPCA e alguns CDBs, LCIs e LCAs.

IPA

O IPA era chamado de Índice de Preços por Atacado, mas em 2010 recebeu a denominação de Índice de Preços ao Produtor Amplo. Ele é calculado pela FGV e tem foco no mercado atacadista. Assim, a inflação medida por ele reflete os preços antes de chegar ao varejo.

Entre os produtos considerados na análise do IPA estão itens agropecuários e industriais. O índice permite compreender como está a variação nos valores negociados entre as empresas.

INCC

Essa sigla se refere ao Índice Nacional de Preços da Construção Civil e, como o nome indica, é utilizado para medir as variações no setor imobiliário. Ele também é calculado pela FGV.

O cálculo considera os preços em produtos e serviços de construção civil — é o caso do valor de diversos materiais e de serviços como mão de obra especializada. O INCC costuma ser utilizado para correção de preço em financiamentos de construtoras.

IGP-M

Outro dos principais índices de inflação é o IGP-M: o Índice Geral de Preços do Mercado. É mais um calculado pela FGV, que monitora a variações nos preços de muitos itens, desde matérias-primas até itens e serviços finais.

O IGP-M é um índice bastante amplo, uma vez que é calculado a partir de outros indicadores: o IPA, o INCC e o IPC — esse último é medido pela Fipe e se refere aos custos da cidade de São Paulo.

O monitoramento dos preços se dá entre o 21º dia de um mês e o 20º do outro. Por sua abrangência, o IGP-M é muito utilizado para correção de preços em aluguéis e também tarifas públicas (como a conta de energia).

Acabamos de apresentar os principais índices de inflação do Brasil. Sem dúvida, as informações que demos lhe ajudaram a compreender melhor o que é a inflação e quais são os efeitos dela na vida dos brasileiros e na economia do país, certo?

Quer saber mais sobre como a inflação afeta os seus investimentos? Então veja a relação entre a taxa Selic e o IPCA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *