Planejamento Sucessório: a importância de planejar o futuro sem traumas

Na vida acontecem inúmeros imprevistos. Como não conseguimos prevê-los, torna-se cada vez mais importante proteger o que acumulamos ao longa da vida, a fim de minimizar os impactos que possam vir a acontecer. Um exemplo disso é a ausência de um ente querido.

Para proteger seu patrimônio e evitar incômodos futuros é relevante termos em mente um Planejamento Sucessório, ou seja, é fundamental fazer um planejamento de forma a perpetuar todo o patrimônio que se construiu em vida em nome de sua família.  

Gestão Patrimonial

Dentro do serviço de gestão patrimonial é preciso demarcar dois pontos complementares:

  1. Proteção financeira

Neste caso, avalia-se se existe algum risco financeiro do cliente frente a um imprevisto em sua vida. Aqui acontece o que se denomina, gestão de risco.

Se uma pessoa estiver em sua fase de acumulação de patrimônio, tenta-se mensurar o tamanho do risco financeiro que um imprevisto pode apresentar em sua vida.

  1. Planejamento Sucessório

O cliente já possui patrimônio acumulado e, no caso de um imprevisto, este patrimônio como é passível de herança e sucessão, gera um custo.

É no planejamento sucessório que se trabalha para mitigar este custo, a fim de que o cliente obtenha eficiência fiscal e tributária, além de segurança e liquidez.   

Exemplo prático

Hoje, se uma família tem um patrimônio de R$ 10 milhões, para efeito de sucessão, caso o patriarca ou a matriarca não tenha realizado um planejamento, essa mesma família não vai herdar o montante original. Atualmente, o custo em média de um inventário é de 12%.

O que está embutido?

. ITCMD (estadual) – é cobrado de 4% a 8%

+

. Emolumentos – 3% (cálculo aproximado)

+

. Honorários advocatícios – custo de 5%

 

Esses três itens compõem o custo de sucessão.

Nesse sentido, quem não tem um Planejamento Sucessório de seus bens, possui uma dilapidação de seu patrimônio em média de 12%. Daí a necessidade de preservar esse patrimônio.

Atrativos do Planejamento Sucessório

Um dos atrativos do Planejamento Sucessório é a preservação do patrimônio. Neste caso, há dois objetivos principais:

  1. Dar liquidez às famílias
  2. Evitar a dilapidação do patrimônio

A gestão patrimonial propõe oferecer soluções financeiras em meio a possíveis imprevistos. Abaixo, segue-se os 4 passos desse serviço:

1º passo

. Medir o imprevisto, ou seja, o impacto financeiro do imprevisto na vida do cliente;

2º passo

. Analisar os números apresentados;

3º passo

. Chegar a um diagnóstico;

4º passo

. Realizar algumas recomendações que, normalmente, são soluções financeiras.

Quais são os perfis de clientes que se encaixam neste trabalho?

  1. Cliente que não possuem patrimônio, mas tem um custo de vida. Realiza-se um trabalho considerando a gestão de risco dele;
  2. Cliente que já tem um risco a ser protegido, não adquiriu a independência financeira ainda, mas já possui algum patrimônio (gestão de risco + planejamento sucessório);
  3. E, por fim, há o cliente que adquiriu a independência financeira, ou seja, já acumulou patrimônio necessário, mas tem a necessidade de proteção do planejamento sucessório.

Aqui na Valor, temos uma assessoria patrimonial que contempla:

. Proteção da aposentadoria;

. Eficiência financeira e fiscal;

. Necessidade de liquidez para inventário;

. Grau de exposição de bens;

. Plano de contingência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *