Política econômica, fiscal, monetária e cambial: quais as diferenças?

Uma das principais funções do governo de um país é trabalhar para garantir o bom funcionamento da economia. Para tanto, é preciso tomar decisões relevantes, as quais fazem parte de uma política econômica.

Além disso, existem elementos específicos que também compõem a política mais ampla de um país. É o caso da política fiscal, da política monetária e da política cambial. Elas estão ligadas à atuação econômica e, juntas, ajudam a definir a situação geral.

Que tal saber mais sobre o assunto? Veja como funciona cada uma delas e descubra qual é a diferença entre elas!

O que é política econômica?

Em termos de definições e ações por parte do governo, a política econômica é a mais relevante. Ela tem abordagem macro e, por isso, compreende várias outras áreas.

Confira as principais informações sobre ela a seguir!

Objetivos

O objetivo central de uma política econômica é atender às necessidades dos cidadãos e chegar às metas estabelecidas pelo Governo para o país. Os interesses podem ser diversos e incluem, especialmente, o fortalecimento, a retomada ou o crescimento econômico.

Atrelado a isso estão várias outras questões de relevância regional e nacional — como a geração de empregos, o aumento das riquezas, a maior confiança dos investidores, e assim por diante.

Após uma recessão econômica, por exemplo, a política econômica deve prever ações que permitam que a economia volte a crescer. É como trabalhar com uma máquina, em que é preciso colocar algumas engrenagens em movimento para que tudo funcione.

A atuação dessa política também pode ter o intuito de resolver problemas consolidados ou evitar possíveis distorções econômicas. Programas voltados para a distribuição de renda, por exemplo, podem ajudar a impedir a concentração de renda e dificuldades da população.

Ações

O principal papel do Governo na política econômica é acompanhar os indicadores e agir para que eles atinjam os resultados esperados. Nesse sentido, ela pode ser elaborada e executada com dois focos centrais.

Se ela for pensada no longo prazo, então é uma política estrutural, que visa a mudanças profundas. Já se a intenção for lidar com um problema pontual e imediato, ela se torna conjuntural e tem menos impacto ao longo do tempo.

Na prática, as decisões definidas no planejamento determinam como será a condução de todo o país. Como você pode ver, o impacto da política econômica é amplo e, por isso, cada decisão precisa ser bem planejada.

Também vale notar que é possível aplicar o instrumento em outras esferas de poder que não apenas a nacional. Estados e municípios precisam cuidar da economia regional e das contas. Assim, também desenvolvem políticas do tipo — que podem ou não estar alinhadas à esfera federal.

O que é política fiscal?

A política fiscal visa a garantir um equilíbrio entre as receitas de arrecadação e os gastos gerais. Isso é importante, principalmente, para evitar ou reduzir os impactos da dívida pública interna. A principal ferramenta para uma política fiscal bem-sucedida é o orçamento.

No caso, o orçamento inclui uma divisão dos recursos entre as esferas governamentais, segundo prioridades estabelecidas. Nessa área, a expectativa é sempre obter superávit, ou seja, ter mais dinheiro em caixa do que valores pagos ou a pagar.

Uma das formas de ter um aumento de arrecadação é pela criação de um novo imposto, pelo aumento das taxas existentes ou mesmo pelo fim de certas políticas de desoneração ou benefícios fiscais.

Em relação aos gastos, os principais costumam ser investimentos obrigatórios em saúde e educação, assim como programas sociais e outros projetos. Se não houver equilíbrio entre arrecadação e gastos, há o risco do país enfrentar dificuldades e mostrar insegurança.

Uma das consequências é não transmitir uma imagem positiva para os investidores estrangeiros. Por outro lado, a demonstração de responsabilidade fiscal é vista com bons olhos pelo mercado, o que ajuda a captar investimentos e consolidar os objetivos da política econômica.

O que é política monetária?

Chegou a hora de entender mais sobre a política monetária. Ela tem relação com a circulação de papel-moeda no mercado. Um dos principais interesses é evitar que a inflação dispare, já que ela aumenta com o volume de dinheiro circulante no país.

Outra atuação da política monetária está relacionada com o acesso ao crédito. Por meio do planejamento, define-se qual é a taxa de juros da economia — fator que pode atuar como estímulo ou não da economia.

De modo geral, quanto menor for a taxa básica de juros, maior é o incentivo de acesso ao crédito, pois há um estímulo à contratação. Nesse caso, o objetivo normalmente é de impulsionar o desenvolvimento econômico.

Já uma taxa de juros elevada pode ter o intuito de diminuir a quantidade de dinheiro na economia, controlando a inflação. Embora a estratégia reduza o crédito disponível, ela é vista como algo necessário em alguns momentos.

O que é política cambial?

Por fim, é preciso falar sobre a política cambial — mais um fator importante na política econômica de um país. Ela se refere ao planejamento quanto ao uso do dinheiro, especialmente relacionado à atuação da moeda nacional em relação às moedas de outros países.

Um dos principais focos é gerenciar as taxas de câmbio que são praticadas no país. No caso do Brasil, o objetivo é cuidar da relação do Real com outras moedas, como o Dólar.

Se a moeda brasileira estiver em desvalorização, é possível desenvolver medidas (como vender parte dos dólares da reserva). Isso aumenta a quantidade do dinheiro disponível na economia e pode reduzir o ritmo de valorização do câmbio internacional.

As decisões da política cambial também influenciam todo o mercado nacional. Afinal, dependendo do que for mais vantajoso, os produtores podem preferir a exportação ou o abastecimento do mercado interno, por exemplo.

Por que é importante conhecer as diferenças entre as políticas?

Você não precisa ser um especialista em economia para reconhecer a relevância dos conceitos que viu até aqui. A política econômica, de modo amplo, afeta a todos os cidadãos — em maior ou menor grau.

Assim, reconhecer as diferenças entre elas é essencial para ter uma visão mais completa da situação do país. Como vimos, a política econômica é o aspecto mais amplo e todas as outras a compõem e trazem especificidades relevantes.

Ao trazer os conceitos para o seu dia a dia, fica mais fácil compreender a situação do país e também tomar boas decisões nas suas finanças e investimentos, certo? Logo, conferir o que é a política econômica será útil para você!

Que tal saber mais sobre o organizador da política monetária nacional? Veja o que é o Bacen e entenda as suas funções!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *