Previdência Privada: aprenda a evitar os 6 erros mais comuns neste investimento

A Previdência Privada é uma escolha natural de muitos brasileiros que se preocupam com o futuro e que não desejam depender exclusivamente da Previdência Social para garantir a tranquilidade financeira na aposentadoria. E, com a Reforma da Previdência, a decisão de ter uma Previdência Privada deverá se tornar cada vez mais frequente entre aqueles que têm o hábito de investir.

Mas, apesar do aumento do interesse de parte da população pela Previdência Privada, ainda são muitos os erros cometidos pelos investidores na hora de fazer seus aportes na Previdência – sobretudo por aqueles que não têm muita familiaridade com este tipo de investimento. Saber identificar o melhor plano de Previdência Privada e conhecer as tributações e taxas do investimento, por exemplo, são quesitos fundamentais para escapar de muitas armadilhas do mercado envolvendo os planos de Previdência.

1.Não conhecer os planos e tributações

Os investidores que optam por um plano de Previdência Privada têm como objetivo central utilizar o plano de Previdência complementar suas rendas no futuro ou até mesmo garantir uma fonte de recursos principal para a aposentadoria. Muitos deles também se preocupam em resguardar seus herdeiros em caso de eventualidades.

Seja qual for o planejamento do investidor, é essencial conhecer os planos de investimento disponíveis e as tributações antes de adquirir um plano e dar início aos aportes.

No mercado brasileiro existem, atualmente, dois planos de Previdência Privada: o Programa Garantidor de Benefícios Livres (PGBL) e o Vida Garantidor de Benefícios Livres (VGBL). Cada um destes planos tem características específicas, que podem impactar negativamente no planejamento e no bolso do investidor no caso de uma escolha equivocada ou aleatória do plano de Previdência.

Também são dois os tipos de tributação de Previdência Privada: a tributação regressiva e a progressiva. A escolha do melhor tipo de tributação do plano de Previdência dependerá dos objetivos e planos do investidor, e uma escolha errada pode também impactar diretamente na rentabilidade da aplicação – positiva ou negativamente.

Para evitar erros na hora de investir em Previdência Privada, conheça em detalhes os planos de Previdência e suas principais características, além das tributações dos planos. Tendo estas informações bem definidas em mente, você conseguirá tomar decisões muito mais assertivas quanto aos seus investimentos em Previdência.

2.Não informar-se sobre as taxas cobradas

Um outro erro comum cometido pelo investidor que decide contratar um plano de Previdência Privada é negligenciar as taxas cobradas pelas seguradoras ou instituições financeiras que oferecem este produto de investimento.

Apesar dos baixos percentuais na visão de muitos investidores – principalmente entre aqueles que têm pouco conhecimento sobre Previdência Privada, estas taxas – quase irrisórias, em um primeiro momento – podem resultar em uma grande perda de dinheiro ao longo dos anos. Por isso, não deixe de se informar sobre as taxas cobradas no plano de Previdência antes de fazer sua escolha.

Em geral, recomenda-se que as taxas de administração e as taxas de carregamento, quando somadas, não ultrapassem o máximo de 2% ao ano. Este percentual pode existir, por exemplo, em casos nos quais não há cobrança de taxa de carregamento, com uma taxa de administração não superior a 2% ao ano. Quanto menor este percentual, melhor para o investidor.

3.Não acompanhar e gerenciar o investimento

Manter os aportes na Previdência Privada sem acompanhar e gerenciar o investimento é um erro comum entre os investidores – e deve ser evitado sempre que possível. Conhecer a rentabilidade da aplicação ao longo do tempo e identificar se os rendimentos estão alinhados aos seus planos e à sua estratégia enquanto investidor é fundamental para garantir resultados satisfatórios em relação ao investimento.

Seja pessoalmente ou por meio de um assessor de investimentos, o investidor deve monitorar periodicamente seu plano de Previdência Privada e gerenciar o investimento. Somente desta maneira será possível perceber quando – e se – suas aplicações em Previdência Privada são as melhores opções em contraste com outras oportunidades disponíveis no mercado.

4.Não conhecer a portabilidade da Previdência Privada

A questão da portabilidade da Previdência Privada é um assunto desconhecido para muitos investidores – inclusive para quem já tem um plano de Previdência contratado. Por conta desta falta de conhecimento sobre o tema, muitos investidores acabam se mantendo presos ao plano contratado, mesmo quando ele deixa de ser benéfico para o investidor.

Se este é o seu caso, saiba que é plenamente possível migrar seus investimentos para um plano de Previdência mais vantajoso quando você desejar, desde que se respeite o prazo de permanência de 60 dias no plano atual para solicitar esta portabilidade. Além disso, é importante que o investidor saiba que esta portabilidade só é possível entre planos da mesma categoria.

Quem tem, por exemplo, um plano PGBL contratado só poderá fazer a troca para outro plano PGBL, assim como quem tem uma Previdência Privada VGBL deve permanecer em um plano do mesmo tipo.

5.Não manter um planejamento financeiro

Manter um bom planejamento financeiro é uma boa maneira de evitar um dos erros mais comuns em se tratando de Previdência Privada. Afinal, sem o devido estabelecimento de metas e planos – especialmente aqueles de longo prazo, é praticamente impossível identificar o melhor momento para adquirir um plano.

Sem o planejamento financeiro definido, o investidor também poderá ter dificuldades de escolher o melhor plano de Previdência Privada para suas necessidades – correndo, desta forma, um grande risco de cometer erros na hora da contratação.

A melhor maneira de evitar mais este erro comum na Previdência Privada é estabelecer todos os seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo, por meio de um planejamento financeiro – que deve estar sempre atualizado e alinhado às mudanças naturais que vão ocorrendo ao longo do tempo em nossas vidas.

6.Investir tarde demais em Previdência Privada

Finalmente, um dos 6 erros mais comuns em Previdência Privada que você deve evitar é fazer seus investimentos tarde demais. A maior parte dos brasileiros acredita que a preocupação com a aposentadoria deve surgir alguns anos antes desta fase da vida – o que não é verdade.

O planejamento para a aposentadoria deve fazer parte dos planos de qualquer pessoa – e o quanto antes for iniciado, melhor. Somente desta maneira é possível poupar e investir ao longo dos anos e utilizar o tempo em favor dos seus investimentos e da acumulação de patrimônio.

Se você acredita ser cedo demais para planejar a aposentadoria, talvez seja o momento de rever seus conceitos. Tenha sempre em mente que, quanto mais cedo você investir em um plano de Previdência Privada e montar sua carteira de investimentos, melhores tendem a ser os resultados dos seus investimentos no longo prazo – e, consequentemente, mais tranquila tenderá a ser sua situação financeira na aposentadoria.

Na hora de escolher e manter seu plano de Previdência Privada, portanto, não deixe de considerar os tipos de planos disponíveis, tributações e as taxas cobradas pelas instituições financeiras. É importante também começar a investir na Previdência o mais cedo possível, sempre acompanhar e gerenciar o investimento e manter um bom planejamento financeiro de curto, médio e longo prazo.

Assim você conseguirá evitar os 6 erros mais comuns neste investimento e investir com maior assertividade na Previdência Privada, a fim de garantir um futuro financeiro muito mais tranquilo para você e para sua família!

Ainda tem dúvidas sobre o tema? Então deixe seu comentário e compartilhe suas dificuldades conosco!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *