Investidor moderado: 4 investimentos adequados para este perfil

Como você realiza as escolhas dos seus investimentos? Elas estão de acordo com o seu perfil? Esse é um dos principais aspectos que merecem atenção na hora de montar uma carteira. Afinal, pessoas com perfis diferentes se interessarão por investimentos distintos.

Levar o perfil em consideração é uma estratégia central para alinhar suas expectativas e evitar frustração ao investir. Um investidor moderado, por exemplo, terá interesses e limitações diferentes de pessoas conservadoras e arrojadas.

Por isso, precisamos falar mais sobre o assunto. Acompanhe este conteúdo para saber detalhes sobre o perfil de investidor moderado e conhecer 4 investimentos que costumam atrair estes investidores.

Quem é o investir moderado?

Existem três perfis de investimento principais: o conservador, o moderado e o arrojado. Eles estão organizados por níveis crescentes de abertura ao risco. O que significa que o conservador é o que tem menos propensão a colocar seu dinheiro em perigo.

As escolhas dos conservadores serão, em geral, guiadas pela necessidade de segurança. O fato de ativos arriscados oferecerem possibilidades de rentabilidade bem maior não os atrai, já que os riscos também são maiores.

Pensando na relação entre risco e retorno, o perfil arrojado é aquele que aceita maiores riscos para impulsionar os ganhos da sua carteira. Em outras palavras, ele procura se adaptar bem ao fato de que é preciso correr perigo e aprender a gerenciar os riscos para ganhar mais.

Como você viu, o investidor moderado se encontra exatamente entre os dois perfis que acabamos de citar. Isso significa que as pessoas desse grupo buscam um equilíbrio entre a segurança e o risco.

Eles não costumam ser tão avessos ao risco como os investidores conservadores – cujo foco maior é estabilidade. Contudo, também não se sentem à vontade para arriscar tanto quanto os arrojados. Logo, a palavra-chave na carteira é o equilíbrio.

4 Investimentos para o perfil moderado

Agora você sabe quais são as características de um investidor moderado. Mas quais investimentos podem se adequar bem à carteira das pessoas com o perfil?

Listamos 4 opções interessantes a seguir:

1. Renda fixa

Nossa primeira opção não é um investimento só, mas um grupo com várias alternativas. Reunimos a renda fixa em um tópico porque o funcionamento dos títulos presentes nela é semelhante em muitos aspectos.

Alguns dos investimentos de renda fixa pública ou privada são:

  • Tesouro Selic;
  • Tesouro IPCA;
  • Tesouro pré-fixado;
  • Debêntures;
  • CDB;
  • Letras de crédito (LCI, LCA);
  • Letras de câmbio.

Os ativos da renda fixa estão entre as opções mais seguras do mercado – especialmente os títulos do Tesouro, pois são garantidos pelo Governo Federal. Além disso, muitos deles têm a segurança do Fundo Garantidor de Crédito.

Com isso, eles são adequados para o percentual de maior estabilidade na carteira do investidor moderado. Mais uma vantagem da renda fixa é a diversidade de títulos, prazos de vencimento, liquidez, taxas de juros e outras especificidades.

2. Fundos DI

Fundos DI são tipos de fundos de investimentos — uma modalidade coletiva. O investidor que adquire cotas do fundo está, na prática, disponibilizando seu dinheiro para um gestor profissional. O gestor é responsável por montar o portfólio do fundo, formado a partir da soma dos valores aportados por todos os cotistas.

O principal objetivo dos fundos DI é acompanhar o índice CDI, um índice muito utilizado como parâmetro para o rendimento de títulos da renda fixa. Por ter segurança e alta liquidez, os fundos DI são alternativas interessantes para reservas de emergência ou objetivos de curto prazo.

3. Fundos de investimentos

Além dos fundos DI, existem muitas opções de fundos de investimentos variados – que podem ser adequados ao investidor moderado. Alguns tipos são: fundos imobiliários, fundos de ações, fundos multimercados, etc.

Cada tipo de fundo tem uma estratégia e características específicas – o que pode ser interessante para a montagem de um portfólio diversificado.

Mais uma vez, os gestores são os responsáveis por escolher a carteira de investimentos do fundo. Assim, quem adquire as cotas de um fundo acompanha estas decisões e tem seu lucro (ou perda) atrelados à qualidade das escolhas da gestão.

Os riscos dos fundos de investimentos podem ser muito diversos, a depender das características de cada um. Fundos imobiliários, por exemplo, investem em imóveis físicos ou em títulos do mercado imobiliário. Portanto, os riscos estão mais relacionados a este setor.

Já os fundos de ações podem ter estratégias diversas na renda variável – assim como os multimercados, que tem maior flexibilidade para definição de estratégias, tanto na renda fixa quanto variável. Assim, ambos os fundos podem compor o pequeno percentual mais arriscado da carteira dos investidores moderados.

Antes de fazer sua escolha, no entanto, lembre-se de analisar bem cada fundo para entender seus potenciais de retorno e riscos envolvidos.

4. Ações

Por fim, precisamos falar sobre as ações – os ativos mais conhecidos quando falamos em investimento na bolsa de valores. Quem nunca ouviu falar de alguém que ganhou (ou perdeu) muito dinheiro com ações?

Elas representam parte do capital social de empresas. Quem adquire ações está se tornando sócio de uma companhia.

As ações estão entre as alternativas de maior risco no mercado, já que fazem parte da renda variável e estão expostas às oscilações do mercado. Por isso, é comum que um investidor moderado tenha um cuidado especial ao investir nestes ativos.

Tenha em mente que o objetivo de pessoas com esse perfil é o equilíbrio dos riscos da carteira. Por exemplo, mantendo a maior parte do patrimônio em ativos mais seguros e buscando um controle de riscos no restante do portfólio – na busca por melhores rendimentos.

Como diversificar a carteira?

Até aqui falamos bastante sobre equilíbrio na montagem de uma carteira moderada. Para isso, há um conceito fundamental: a diversificação.

A ideia é dividir seu patrimônio em diversos ativos, com níveis de risco e rentabilidade diferentes. Assim, os riscos e a rentabilidade podem ser balanceados.

Normalmente, o investidor moderado equilibra a segurança e o risco por meio de uma diversificação adequada. Por exemplo, mantendo uma parte do dinheiro em renda fixa e outro em fundos e ativos da renda variável.

Além disso, também é importante diversificar dentro do mesmo grupo. Ao investir em renda fixa, por exemplo, vale a pena escolher algumas aplicações em vez de uma só. A estratégia permite maior flexibilidade, pois o investidor não fica ligado a apenas um título público ou privado.

Quando se fala em renda variável, fica mais relevante diversificar. Afinal, a oscilação é maior. Então, uma estratégia frequentemente usada é comprar ações de companhias em diferentes setores.

Agora você já sabe quem é o investidor moderado e quais investimentos podem ser atrativos para este perfil. Então utilize as informações que trouxemos neste post para tomar decisões mais eficientes na sua carteira.

E não se esqueça: respeitar seu perfil e avaliar as alternativas disponíveis no mercado antes de investir são cuidados necessários.

Você tem perfil moderado, mas ainda está com dificuldades para montar uma carteira diversificada por conta própria? Conte com nossa ajuda especializada para tomar as melhores decisões de investimento. Entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *