Swing trade: o que é e como funciona esta operação na bolsa de valores

O mercado financeiro oferece, em todo o mundo, inúmeras oportunidades para quem busca obter lucros a partir das operações de compra e venda de ações na bolsa de valores. E, com o avanço da tecnologia, estas oportunidades estão cada vez disponíveis para qualquer pessoa que tenha acesso a um computador, à internet e a um home broker.

Se você tem interesse em iniciar suas operações em breve na bolsa de valores brasileira e está procurando aprender mais sobre este vasto mercado, é importante que você conheça um pouco mais sobre uma das principais modalidades de operação utilizadas por investidores e traders brasileiros: o swing trade.

Um estilo de operação que permite posicionamento em ativos no curto prazo, o swing trade pode ser uma opção interessante de operação para quem busca ganhar dinheiro com a volatilidade nos preços de ações e outros ativos do mercado de renda variável. No artigo de hoje, você descobrirá o que é e como funciona esta modalidade de operação na bolsa de valores e dará o primeiro passo para, quem sabe, começar a realizar suas operações no mercado.

Acompanhe!

O que é swing trade?

O swing trade é uma modalidade de operação em bolsa de valores que permite ao investidor ou especulador do mercado fazer operações de curto prazo, que podem variar de alguns dias até algumas semanas. O objetivo do trader que realiza uma operação de swing trade é lucrar com a volatilidade dos preços de um ativo ao longo de um determinado período de tempo.

Em comparação com as operações em day trade – cujo início e término de uma posição no mercado ocorre no mesmo dia, as operações na modalidade swing trade costumam oferecer uma possibilidade real de retornos mais elevados  – especialmente quando o mercado segue uma determinada tendência, além de oferecerem um risco um pouco menor em relação aos trades de curtíssimo prazo.

Assim como o day trade, no entanto, é fundamental que o operador mantenha um bom manejo de risco em suas operações e conheça os riscos que envolvem os trades de curto prazo no mercado financeiro. É imprescindível também que o investidor ou especulador conheça bem o mercado e estude bastante antes de dar início às suas operações na bolsa no âmbito de swing trade.

Como funciona esta operação?

A operação swing trade é realizada no mercado quando verifica-se uma oportunidade de ganhar dinheiro com a alta ou a queda de um ativo negociado em bolsa. Em linhas gerais, uma operação de swing trade ocorre quando o investidor ou especulador da bolsa decide comprar ou vender um determinado ativo financeiro em um dado momento e zera esta mesma posição em alguns dias ou semanas – buscando obter rendimentos a partir da volatilidade dos preços neste período.

Imagine uma situação na qual você adquiriu um determinado papel na bolsa de valores no dia 30 de março de um dado ano por R$ 10,00, buscando lucrar com a alta deste papel no curto prazo e projetando um alvo, a partir da análise técnica, em R$ 15,00. Agora pense que, dez dias depois, o alvo projetado por você foi alcançado pelo papel – lhe gerando um lucro de R$ 5,00 por ação.

Neste momento, é comum que o investidor zere sua posição e embolse o lucro obtido na operação. É possível, entretanto, que uma operação de swing trade mantenha-se aberta por diversas semanas, e existe sempre a possibilidade de perdas nesta operação, caso o mercado movimente-se em direção contrária àquela projetada pelo trader.

Análise técnica

Uma das principais ferramentas dos operadores que realizam swing trades é, sem dúvida, a análise técnica. É por meio da análise dos padrões gráficos – auxiliada por indicadores diversos – que os traders conseguem projetar as movimentações dos preços e realizar suas operações de compra ou venda.

Em uma operação de swing trade, é bastante comum manter atenção em zonas de suporte e resistência dos preços e utilizar gráficos de períodos mais longos – como o gráfico de 60 minutos. Muitos traders, no entanto, optam por fazer uso de tempos gráficos maiores ou até mesmo gráficos diários, para operações mais longas. Esta escolha depende da operação que está se buscando no mercado e a estratégia de operação de cada trader.

Para evitar perdas muito altas caso o mercado movimente-se inesperadamente – e com força – para uma direção contrária àquela esperada, os traders costumam trabalhar com o que chamamos de stop – uma das mais importantes ferramentas de gerenciamento de risco para operações na bolsa de valores.

Tributação

A tributação do swing trade segue o padrão das demais operações na bolsa de valores – com a exceção do day trade. O imposto que incide sobre as operações que são iniciadas e encerradas em um prazo de dias ou semanas é de 15% sobre o lucro líquido – descontando os custos da corretagem.

Vale ressaltar, no entanto, que os rendimentos de operações de swing trade inferiores a R$ 20 mil em um mês são isentos de Imposto de Renda.

Quem pode fazer swing trade na bolsa?

Qualquer pessoa que tenha acesso a um computador ou smartphone, acesso à internet e uma conta aberta em corretora pode realizar operações em swing trade. Recomenda-se fortemente, entretanto, um bom estudo do mercado, das estratégias a serem utilizadas e dos gráficos antes de dar início às operações em swing trade.

Com um bom manejo dos riscos e entendimento no assunto, o swing trade pode ser uma oportunidade interessante para quem busca ganhar dinheiro com as oscilações do mercado e potencializar seus ganhos no mercado de ações.

Vantagens e desvantagens do swing trade

O fato de o swing trade de operação na bolsa de valores permitir a qualquer pessoa ganhar dinheiro com operações de curto prazo no mercado financeiro é a principal vantagem do swing trade. Além disso, esta modalidade de operação tem um risco menor para o trader na comparação com o day trade e um bom potencial de lucro – o que a torna bastante atrativa para aqueles que desejam fazer operações de compra e venda no mercado.

Uma outra vantagem do swing trade sobre o day trade é quanto à ausência de necessidade de acompanhamento das operações abertas a todo o momento. Diferente do day trade, a operação de swing trade não exige que o investidor mantenha-se atento a sua operação a cada momento.

Por conta disso, a liberdade desta operação acaba sendo maior na comparação com o day trade – tornando plenamente possível abrir uma operação no mercado e realizar outras atividades regulares ao longo do dia sem precisar manter atenção a cada movimento dos preços.

A principal desvantagem do swing trade está ligada ao risco da operação em si. Afinal, por mais que você tenha conhecimento de mercado e saiba analisar graficamente um determinado ativo, sempre há a possibilidade de o mercado caminhar em uma direção diferente e gerar perdas financeiras ao operador.

Swing trade: por onde começar?

As operações no mercado financeiro são, normalmente, indicadas para investidores que têm perfil mais agressivo ou arrojado,  que não se incomodam em se expor um pouco mais aos riscos em busca de maiores rentabilidades. Se você acredita que operar swing trade faz sentido para você, a primeira coisa que você deve fazer é aprender cada vez mais sobre análise gráfica e abrir sua conta na corretora de valores.

Estude mais sobre o assunto e procure conhecer mais de perto o mercado e suas respectivas movimentações antes de abrir as primeiras operações. Quanto mais você se preparar, maiores serão as chances de você obter bons resultados em suas operações em swing trade.

Agora que você já sabe o que é e como funciona o swing trade na bolsa de valores, que tal conhecer mais informações sobre a modalidade de operação day trade? Clique aqui e confira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *