Taxa Selic é a taxa básica de juros

Taxa Selic é um importante indicador que pode impactar seus investimentos ao longo do tempo e, principalmente, seu bolso.

A sigla Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia – espécie de mercado em que os títulos do Tesouro Nacional são comprados e vendidos diariamente. Essa taxa é conhecida como taxa básica de juros. Muitos brasileiros já ouviram pelo menos uma vez os jornais dizerem ou publicarem essa sigla, principalmente nos últimos meses já que a Taxa Selic segue batendo recordes históricos de baixa.

Veja a seguir o gráfico que compreende a meta da Taxa Selic que, hoje, se encontra em 6,5%.

grafico-post-taxa-selic

Taxa Selic e COPOM

É justamente a partir das reuniões do COPOM (Comitê de Política Monetária), por meio de seus membros, que se determina a subida ou a queda da Taxa Selic, obtendo o que chamamos de a taxa de equilíbrio para a economia nacional.

A taxa reflete quanto um banco paga para captar recursos com outro banco, tendo como base a remuneração dos títulos públicos. Como o título público é considerado uma aplicação muito segura, a taxa acabou virando uma referência no tempo. Daí a Taxa Selic ter enorme influência tanto em nosso cotidiano, quanto na economia brasileira.

Função da Selic

Usa-se a Selic para controlar a inflação no Brasil e se a taxa vai proporcionar a troca adequada de recursos entre instituições financeiras, pessoas físicas, jurídicas e investidores.

Além de impactar os juros que serão praticados na economia, a Selic tem a função de ser um dos principais indicadores dos investimentos em Renda Fixa.

Por influenciar diretamente as taxas de juros no Brasil, a meta anual da Selic é o principal meio do governo para controlar a inflação ou estimular a economia em momentos de recessão. Normalmente, a decisão do COPOM segue a seguinte lógica:

A) Se a inflação está alta, o COPOM pode aumentar a taxa Selic

Aumentar a taxa básica de juros incentiva os juros no mercado a subirem também. O crédito para as pessoas e as empresas fica mais caro e elas passam a consumir menos e a poupar mais. Com o consumo menor, a tendência é que os preços caiam, fazendo a inflação cair junto.

B) Se a inflação está baixa, o COPOM pode reduzir a taxa Selic

A queda dessa taxa deixa espaço para os juros no mercado caírem também. O crédito fica mais barato, estimulando as pessoas e as empresas a fazerem financiamentos e comprarem a prazo, impulsionando o consumo e a produção. Isso aumenta a atividade econômica e a demanda por produtos, que consequentemente gera uma alta de preços, fazendo a inflação subir.

Resumindo a Taxa Selic

Se a taxa Selic aumenta:

. Maiores são os juros cobrados no mercado.
. Maior é o incentivo para poupar e investir.
. Menos crédito e dinheiro passam a circular na economia.
. Menos consumo e demanda por produtos.
. Menor é a atividade econômica.
. Menor é o nível de preços no mercado, derrubando a inflação.

Se a taxa Selic diminui:

. Menores são os juros cobrados no mercado.
. Menor é o incentivo para poupar e investir.
. Mais crédito e dinheiro passam a circular na economia.
. Mais consumo e demanda por produtos.
. Maior é a atividade econômica.
. Maior é nível de preços no mercado, aumentando a inflação.

É por isso que é tão importante observar o que acontece no Brasil e no cenário exterior na hora de tomar uma decisão de investimento. Diante de tantas notícias e informações, muitas pessoas se sentem perdidas. Isso é bastante comum de acontecer.

Saiba que Banco Central deixa disponível em seu site via Panorama Econômico as atualizações realizadas pelo COPOM, podendo ser facilmente consultada.

Certamente você já ouviu esses dois termos – Taxa Selic e CDI,
mas qual a relação entre os dois? Clique aqui e saiba!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *