Veja o que são títulos públicos e como funciona o investimento

Quem está começando a investir já deve ter se deparado com uma das opções de investimento mais populares do mercado: os títulos públicos. Esses papéis combinam boa rentabilidade e segurança, o que atrai diversos perfis de investidores.

Para entender o que são os títulos públicos, como eles funcionam, quais os tipos disponíveis e quais são as vantagens usufruídas por quem investe neles, prossiga com a leitura deste conteúdo. Ele traz a resposta para todas essas questões.

O que são os títulos públicos?

Os títulos públicos são os papéis emitidos pelo Tesouro Nacional com o intuito de financiar as atividades do governo. Logo, quem investe em um título público está comprando parte da dívida do país.

Em outras palavras, está emprestando dinheiro ao Governo Federal. Em troca, recebe a promessa de ter o dinheiro devolvido com acréscimo de juros na data acordada no momento da compra do papel.

Desde 2002, os títulos públicos são negociados por meio da plataforma chamada Tesouro Direto. Ela foi criada por meio de uma parceria entre o Tesouro Nacional e a BM&FBovespa. Outra medida para incentivar os aportes nesses papéis foi a redução do valor mínimo para investir. Com isso, o acesso a esse tipo de investimento se democratizou bastante.

Como eles funcionam?

Os títulos públicos entram na categoria dos chamados investimentos de renda fixa. Afinal, no momento da aplicação, é possível saber de que forma será calculado o retorno a ser pago ao investidor.

Para aplicar em títulos públicos, é necessário procurar uma corretora de valores, uma gestora de investimentos ou mesmo um banco. Essas instituições farão o seu cadastro na plataforma e, a partir de então, será possível negociar os papéis de acordo com o seu interesse.

Embora seja bastante simples e prático investir em títulos públicos por meio do Tesouro Direto, é preciso estar preparado para arcar com alguns custos. Entre eles estão a taxa de corretagem (cobrada pela instituição financeira), a taxa de custódia (cobrada para armazenar o papel) e os tributos (Imposto de Renda e IOF).

Apesar disso, eles não são altos a ponto de comprometer a rentabilidade e afastar potenciais investidores. Com uma boa pesquisa é possível encontrar instituições que isentam o investidor da taxa de corretagem.

Quais são os tipos de títulos públicos disponíveis?

Os títulos públicos são divididos em duas categorias: os prefixados e os pós-fixados. Dentro de cada uma dessas divisões, que dizem respeito à forma como os papéis têm sua remuneração calculada, existem diversos tipos de títulos. A seguir, explicamos isso em detalhes.

Prefixado

Os títulos públicos prefixados contam com um rendimento já determinado no momento da aplicação. Dessa forma, quem investe em um papel desse tipo tem a exata noção de quanto receberá no dia do vencimento. Essa rentabilidade geralmente é expressa em um percentual ao ano — 6%, por exemplo.

Ele é indicado para quem acredita que seu rendimento será maior que a taxa básica de juros da economia, a SELIC. Os títulos prefixados são divididos em duas subcategorias (as siglas indicadas se referem a como o título aparece nomeado na plataforma do Tesouro Direto):

  • Tesouro prefixado (LTN), que paga todo o rendimento na data do vencimento;
  • Tesouro prefixado com juros semestrais (NTN-F), em que parte do rendimento é pago semestralmente.

A primeira opção geralmente conta com prazos de vencimentos mais curtos, o que a torna indicada para investidores de curto e médio prazo. A outra opção, que oferece pagamentos semestrais, tem prazos mais longos, ideal para investidores que estão pensando no longo prazo.

Pós-fixados

Já os pós-fixados têm sua remuneração calculada a partir de um índice, que geralmente segue um indicador da economia. Normalmente são escolhidos aqueles que medem a inflação — como o IPCA — ou os que servem como base para os juros — é o caso da SELIC. Abaixo estão os títulos pós-fixados negociados no Tesouro Direito.

  • Tesouro SELIC (LFT), segue a taxa SELIC e é recomendado para quem busca uma alternativa à caderneta de poupança;
  • Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal), que mistura no cálculo uma taxa prefixada mais a inflação do período, com pagamento feito no vencimento;
  • Tesouro IPCA+ com juros semestrais (NTN-B), cujo rendimento é calculado de forma similar ao anterior, mas com pagamentos semestrais.

Quais as vantagens de se investir em títulos públicos?

Depois de entender como funcionam e quais são os principais títulos públicos disponíveis, confira algumas das vantagens que esse tipo de investimento oferece.

Rentabilidade

Como você viu, a rentabilidade de um título público varia de acordo com a categoria do papel escolhido. De qualquer forma, a previsibilidade dessa forma de investimento permite que cada investidor encontre a aplicação mais adequada à sua realidade, tanto no que diz respeito ao cálculo do retorno quanto ao prazo.

Assim, os títulos públicos oferecem um bom retorno financeiro, principalmente quando os comparamos com outras opções de investimento em renda fixa, como a caderneta de poupança e os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs).

Segurança

Embora não seja coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), espécie de seguro que protege os investidores de algumas aplicações caso o emissor do título quebre, os títulos públicos estão entre as opções mais seguras do mercado.

Como eles são garantidos pelo próprio Tesouro Nacional, a chance de eles não serem honrados são quase nulas, já que seria necessário um colapso na economia para isso acontecer. E mesmo que chegássemos a tal ponto, muitos outros investimentos e instituições seriam atingidos antes.

Simplicidade

O Tesouro Direto facilita muito a vida de quem quer investir. Com o cadastro feito, basta acessar a plataforma e procurar os títulos mais adequados ao seu perfil e objetivos. Tudo isso aliado a um baixo valor inicial, já que é possível começar com R$30.

Se for necessário reaver o dinheiro investido, o processo também é bem simples. Apesar de pequenas perdas no rendimento, o dinheiro é depositado em apenas 1 dia útil.

Os títulos públicos são uma opção interessante de investimento e devem ser sempre considerados por quem está começando a investir ou por quem quer encontrar boas formas de diversificar suas aplicações com boa rentabilidade e baixo risco.

Gostou das dicas? Então assine a newsletter e não perca nada do que passa pelo blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *